Brasil

Lula diz que reunião com Macron "foi ótima"; francês afirma que visitará o Brasil

Presidentes discutiram entraves ao acordo comercial do Mercosul com a União Europeia

Macron afirmou à delegação de Lula no almoço que irá ao Brasil no segundo semestre (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

Macron afirmou à delegação de Lula no almoço que irá ao Brasil no segundo semestre (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 23 de junho de 2023 às 13h37.

Última atualização em 23 de junho de 2023 às 13h51.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que manteve um ótimo almoço de trabalho com o presidente da França, Emmanuel Macron. Lula foi recebido no Palácio Eliseu, sede da Presidência francesa. "Ótima reunião, ótimo almoço e vai ser ótima a próxima conversa", disse Lula, ao sair do Eliseu e abraçar Macron. "Formidável", disse o presidente francês, cumprimentando ministros de Lula após o que chamou de uma "boa troca".

O encontro foi ampliado com os ministros das Relações Exteriores Mauro Vieira, da Defesa, José Múcio, de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e da Fazenda, Fernando Haddad. Dois comandantes militares participaram: o almirante Marcos Olsen, da Marinha, e o brigadeiro Marcelo Damasceno, da Força Aérea.

O "Estadão" apurou que Macron afirmou à delegação de Lula no almoço que irá ao Brasil no segundo semestre, atendendo convite do petista. A data não está fechada, mas Lula quer a presença dele em uma reunião do Tratado de Cooperação Amazônica, a ser realizada em agosto, em Belém.

O que foi tratado no encontro entre Lula e Macron?

Os presidentes discutiram entraves ao acordo comercial do Mercosul com a União Europeia. Lula manifestou reiteradamente que não aceita condicionantes ambientais propostas pelo bloco europeu e considera que os franceses precisam ceder no protecionismo do setor agrícola. Macron sofre pressão interna do segmento para não avançar no acordo.

Mais cedo, Lula disse na cúpula do Novo Pacto Financeiro Global que estava "doido" para fechar a negociação, mas que as exigências ambientais impedem um acordo.

Conversaram ainda, segundo um integrante da comitiva, sobre a revisão do contrato de construção de submarino a propulsão nuclear, que envolve os dois países, o Pro-Sub. As comitivas trataram também da cooperação de segurança na zona de fronteira, entre o Amapá e a Guiana Francesa, sobre intercâmbio cultural e mudanças climáticas.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaEmmanuel MacronFrançaReuniões

Mais de Brasil

Em Porto Alegre, Defesa Civil alerta para risco de novos temporais com ‘ventos intensos’ e granizo

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Reviravolta em julgamento sobre 'sobras eleitorais' pode anular eleição de sete deputados; entenda

Privatização da Sabesp será concluída em 22 de julho; veja os mais cotados para vencer a disputa

Mais na Exame