Brasil

Lula diz que aumentará salário mínimo acima da inflação

Candidato também destacou necessidade de combater a fome

Lula: "Esperem e se preparem, porque, a partir de janeiro, o salário mínimo vai aumentar todo ano. (Gustavo Minas/Bloomberg via/Getty Images)

Lula: "Esperem e se preparem, porque, a partir de janeiro, o salário mínimo vai aumentar todo ano. (Gustavo Minas/Bloomberg via/Getty Images)

AB

Agência Brasil

Publicado em 9 de setembro de 2022 às 09h56.

O candidato a presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na noite desta quinta-feira (8) que, se eleito, retomará a política de reajuste real do salário mínimo acima da inflação. O compromisso foi feito durante um ato político de campanha em Nova Iguaçu (RJ), na Baixada Fluminense, ao lado de aliados que disputam as eleições no estado.

"Esperem e se preparem, porque, a partir de janeiro, o salário mínimo vai aumentar todo ano, de acordo com o crescimento da nossa economia, porque tem 29 milhões de aposentados, todos ganhando salário mínimo e quase 59 milhões de pessoas ganhando até um salário mínimo", afirmou o candidato.

O candidato também falou sobre combater a fome no país, afirmando que a população deixou de comer carne, apesar do Brasil ser o maior produtor mundial de proteína animal. "O Brasil é o maior produtor de carne do mundo, entretanto, as pessoas não podem mais comprar um quilo de carne pra comer. Já vimos na televisão as pessoas procurarem osso porque não tem carne de segunda pra comprar", disse Lula, que também aproveitou o discurso para criticar Bolsonaro sobre sua gestão da pandemia de covid-19.

Lula também prometeu, em seu discurso, restaurar programas importantes da era petista, como o Minha Casa Minha Vida, de habitação, além de aumentar o financiamento da educação, especialmente universidades e escolas técnicas construídas durante seu governo. Em seu perfil oficial no Twitter, o candidato escreveu: "A gente quer que nossos filhos tenham roupa nova, comida boa. Que nossa família seja respeitada. Queremos viver bem, morar bem".

O candidato ainda destacou que quer investir no programa Farmácia Popular, para garantir acesso gratuito da população a medicamentos essenciais.

Ainda na rede social, o candidato disse que quer investir na Baixada Fluminense e que deseja que o Rio de Janeiro apareça nos jornais pela qualidade da educação, da comida, do emprego e não nas páginas policiais, com crianças sendo mortas por bala perdida. “Nosso país deve ser humanista e fraterno”, escreveu.

Lula também aproveitou para homenagear a Rainha Elizabeth II, do Reino Unido, que morreu hoje, aos 96 anos. "Em nosso governo [de 2003 a 2010], o Reino Unido e o Brasil tiveram excelentes relações diplomáticas, políticas e comerciais, marcadas pela visita de Estado em que ela nos recebeu, em 2006. Gravo na memória nosso encontro na reunião do G-20 em Londres, em 2009. Minhas condolências à família e a todos que admiravam a Rainha Elizabeth II no Reino Unido e ao redor do mundo."

Lula permanece no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (9). Ele participa, a partir das 10h, de um encontro com evangélicos, na cidade de São Gonçalo (RJ), na região metropolitana do Rio.

Veja também: 

Veja a agenda dos presidenciáveis nesta sexta-feira, 9 de setembro

Soraya Thronicke propõe usar rede privada para trazer alunos à escola

Guedes: Já crescemos 2,5%, e vamos crescer 3% [em 2022] ou mais um pouco

Acompanhe tudo sobre:EleiçõesInflaçãoLuiz Inácio Lula da SilvaPolítica

Mais de Brasil

Presidente da Anatel defende que órgão regule as plataformas digitais

Gilmar pede vista e suspende julgamento sobre mudanças na lei de improbidade

Secretário de Turismo diz que 53% das atrações públicas do RS foram danificadas

Prefeito de Canoas diz que reconstrução de prédios públicos demanda mais de R$ 200 milhões

Mais na Exame