Brasil

Lula diz que 'quem está na presidência só perde uma eleição se for incompetente'

Presidente realiza ofensiva em Minas Gerais nesta semana para turbinar pré-candidaturas aliadas para a eleição municipal

 (Renato Pizzutto/Band/Divulgação)

(Renato Pizzutto/Band/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 28 de junho de 2024 às 09h14.

Última atualização em 28 de junho de 2024 às 09h17.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quinta-feira que "vai mostrar" para o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que "quem está na presidência só perde uma eleição se for incompetente". A declaração ocorreu em entrevista à rádio Itatiaia, em Minas Gerais, onde petista faz ofensiva nesta semana e visita as principais cidades governadas pelo partido no estado.

"Se eu derrotei ele quando eu era oposição e ele, situação, imagina agora que eu sou situação e ele, oposição. Vou mostrar para ele que quem está na presidência só perde uma eleição se for incompetente", disse Lula.

Questionado se irá tentar reeleição em 2026, Lula disse ser um "jovem de 78 anos", mas alegou ser "cedo" para confirmar se vai concorrer. O presidente ressaltou que a "única hipótese" de candidatura seria se "todos os indicadores" mostrarem que ele é a "única pessoa para derrotar o facismo, a extrema direita".

"Não terei problema de ser candidato, mas espero que até lá a gente arrume uma pessoa mais competente, mais jovem, com mais disposição. Trabalhar mais do que eu duvido que aconteça", afirmou o presidente.

Na entrevista, Lula se posicionou contra a anistia dos condenados pelo 8 de janeiro, defendida por Bolsonaro, e ressaltou a existência de foragidos na Argentina. Propostas de anistia já foram apresentadas no Congresso.

"Briguei muito para ter anistia no Brasil, mas, nesse caso, não descobrimos ou punimos todo mundo. (Ainda) estamos procurando gente, financiadores. Temos mais de 165 pessoas na Argentina, das quais acho que 39 estão condenadas. Estamos discutindo para essas pessoas voltarem para o país para darmos a eles a lição que merecem", disse o petista.

O presidente visita Minas Gerais nesta quinta e sexta-feira em uma estratégia para turbinar pré-candidaturas aliadas para a eleição municipal de outubro. As visitas abrangem as duas principais cidades mineiras comandadas pelo PT, Contagem e Juiz de Fora, para anunciar iniciativas do governo federal.

A iniciativa acontece poucos dias antes do prazo, definido pela lei eleitoral, em que candidatos ficam proibidos de participar de inaugurações ou de anúncios de obras públicas.

Acompanhe tudo sobre:Jair BolsonaroLuiz Inácio Lula da SilvaEleições

Mais de Brasil

Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente

André Mendonça, do STF, dá 30 dias para governo concluir renegociação das multas da Lava-Jato

Força-tarefa extingue 30 pontos de queimada no Pantanal, diz Marina

CCJ do Senado adia votação da PEC do marco temporal de áreas indígenas

Mais na Exame