Acompanhe:

Lula afirma que o Brasil vai participar da Opep+

Presidente argumentou que a participação brasileira no grupo é importante para convencer países produtores de petróleo a reduzirem a exploração de combustíveis fósseis

Modo escuro

Continua após a publicidade
Lula: "muita gente ficou assustada com a ideia de que o Brasil ia participar da Opep. O Brasil não vai participar da Opep, vai participar da Opep+" (Leandro Fonseca/Exame)

Lula: "muita gente ficou assustada com a ideia de que o Brasil ia participar da Opep. O Brasil não vai participar da Opep, vai participar da Opep+" (Leandro Fonseca/Exame)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste sábado, 2, que o Brasil vai participar do grupo Opep+, mas não vai "apitar nada" nas decisões do bloco formulado pela Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep). Ele argumentou que a participação brasileira no grupo é importante para convencer países produtores de petróleo a reduzirem a exploração de combustíveis fósseis.

Lula participou de um encontro com a sociedade civil durante a Cúpula do Clima da ONU, COP-28, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Durante a reunião, representantes de organizações não governamentais defenderam postura enfática contra os combustíveis fósseis e cobraram a demarcação de terras indígenas conforme prometido pelo governo.

"

Muita gente ficou assustada com a ideia de que o Brasil ia participar da Opep. O Brasil não vai participar da Opep, vai participar da Opep+", disse o presidente, comparando com sua participação no G7, que reúne as sete democracias mais poderosas do mundo:

"Eu vou lá, escuto, só falo depois que eles tomarem a decisão e venho embora. Não apito nada. A Opep+ eu acho importante a gente participar, porque a gente precisa convencer os países que produzem petróleo que eles precisam se preparar para reduzirem os combustíveis fósseis

", disse.

Lula afirmou que é preciso utilizar o dinheiro gerado pelo lucro do petróleo para desenvolver tecnologias de produção de energias renováveis. Lula argumentou que para obter o objetivo de reduzir os usos de combustíveis fósseis é preciso passar por interesses de vários países e desenvolver alternativas. "Porque se a gente não criar alternativa, a gente não vai poder dizer que vai acabar com os combustíveis fósseis."

"Acabar com os combustíveis fósseis é um desejo. Chegar lá é uma guerra, uma luta", afirmou o presidente.

Segundo Lula, o Brasil será o "carro-chefe" da transição energética. Ele afirmou que o Brasil tem feito sua parte e por isso poderá cobrar outros países.

A expectativa é de que Lula tenha pelo menos quatro reuniões bilaterais ao longo do dia, uma delas com o presidente da França Emmanuel Macron. Além das bilaterais, Lula participa de uma reunião do G-77+China, que reúne os países em desenvolvimento, sobre mudança do clima. O presidente também estará em um evento sobre florestas, que tem sido a grande pauta do Brasil nesta COP.

Na última sexta-feira, em discurso na sessão de abertura da COP-28, Lula defendeu que os países reduzam sua dependência dos combustíveis fósseis e cobrou países ricos para que financiem medidas de adaptação à mudança do clima nos países em desenvolvimento. O presidente tem cumprido uma intensa agenda na cúpula, com encontros bilaterais e participação em plenárias.

"O balanço geral (do Acordo de Paris) está dizendo que o que foi feito até agora é insuficiente, mas é insuficiente da parte de quem? Precisamos acelerar a parte de quem ainda nao está fazendo", disse a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva.

Veja as últimas notícias da COP28

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró
Brasil

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró

Há 8 horas

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas
Brasil

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas

Há 9 horas

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato
Brasil

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato

Há 10 horas

Projeto de lei quer proibir que motorista de aplicativo cobre passageiro pelo uso do ar-condicionado
Brasil

Projeto de lei quer proibir que motorista de aplicativo cobre passageiro pelo uso do ar-condicionado

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais