Brasil

Internet no metrô: linha 5 (lilás) ganhará novo sistema de antenas que reforça sinal de 4G e 5G

ViaMobilidade, concessionária responsável pela linha, fechou um acordo com a empresa de infraestrutura IHS Brasil e a operadora Vivo

Metrô: linha lilás recebe reforço na internet (Governo de SP/Reprodução)

Metrô: linha lilás recebe reforço na internet (Governo de SP/Reprodução)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 17 de abril de 2024 às 12h29.

Última atualização em 17 de abril de 2024 às 12h37.

A Linha 5 (lilás) do Metrô de São Paulo - que vai de Capão Redondo a Chácara Klabin, na zona sul da cidade - terá nos próximos meses um reforço relevante no sinal de internet móvel 4G e 5G dentro das estações e dos túneis. A concessionária responsável pela linha, a ViaMobilidade, fechou um acordo com a empresa de infraestrutura IHS Brasil e a operadora Vivo para instalar e ativar um conjunto de antenas específicas para o tráfego de dados em ambientes fechados.

Com isso, a conexão à internet será melhorada ao longo da rede. Até então, o sinal das antenas externas, colocadas no nível da rua, não conseguiam alcançar completamente os usuários no transporte subterrâneo.

A primeira instalação será na estação Campo Belo e replicada em todas as estações restantes em 12 a 18 meses. Quando pronto, o novo sistema deverá atender cerca de 630 mil pessoas diariamente.

"A linha 5 do Metrô de São Paulo tem 17 estações, 12 das quais são subterrâneas, com 12 quilômetros de túneis onde o sinal móvel não pode chegar sem um sistema de antena dedicado", comentou o diretor operacional da IHS Brasil, Cassio Futuro. "Estamos implementando um sistema de última geração utilizando 5G e 4G para que os operadores de redes móveis possam fornecer os seus serviços a usuários finais em todo este sistema de transporte", emendou.

O modelo escolhido para a operação foi o DAS (Sistema Distribuído de Antenas, na sigla em inglês), que permite que as operadoras conectem seus equipamentos e forneçam internet rápida para grandes ambientes internos como estações de metrô, aeroportos, shopping centers, hospitais, edifícios corporativos, entre outros locais onde existem barreiras físicas à propagação do sinal, como paredes de concreto e estruturas metálicas.

A solução é considerada por técnicos um dos projetos no modelo DAS mais modernos da América Latina. O valor do investimento não foi revelado pelas empresas. A infraestrutura DAS é de propriedade da IHS Brasil, que também será responsável por sua operação, manutenção e monitoramento por meio de seu Centro Operacional de Rede.

O conjunto de antenas internas será estrategicamente posicionado e conectado por cabos de fibra óptica, que ajudarão a prover e/ou expandir a cobertura da rede celular de 4G e 5G. Assim que instalada, a infraestrutura estará disponível para uso de todas as operadoras. A Vivo foi a primeira a aderir ao projeto com voz e dados. TIM e Claro também estão a caminho.

O diretor da ViaMobilidade, Antonio Marcio, afirmou que a necessidade de conexão nas dependências internas da linha fez com que a empresa buscasse uma solução que atendesse às demandas crescentes dos usuários do metrô.

O diretor de Planejamento de Redes da Vivo, Elmo Rocha, enfatizou que a tele será a primeira a aderir ao projeto, com oferta de 4G e 5G. "Este projeto é um exemplo do compromisso em oferecer a melhor conectividade aos clientes mesmo que estejam em ambientes desafiadores para cobertura, como túneis e estações de metrô", afirmou.

Acompanhe tudo sobre:InternetMetrô de São Paulo5G4G

Mais de Brasil

TSE nega recurso que pedia cassação de Zema, mas aplica multa

Enchentes no RS: deputados aprovam 'calamidade' até 2026 e derrubam regras de gastos

Enchentes no RS: aeroporto Salgado Filho não deve reabrir até setembro

Governo cria 'válvula' para dívida de estados e municípios em calamidade por eventos climáticos

Mais na Exame