Brasil

Conselho de Ética abre processo que pode levar à cassação de Janones por suposta rachadinha

Janones nega irregularidades e afirma que a ideia foi "vetada" por sua advogada

Deputado federal André Janones (Paulo Sergio/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

Deputado federal André Janones (Paulo Sergio/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 13 de dezembro de 2023 às 13h53.

O Conselho de Ética da Câmara instaurou um processo que pode levar à cassação do mandato do deputado André Janones (Avante-MG) por suposta prática de rachadinha em seu gabinete.

O colegiado sorteou uma lista tríplice composta pelos deputados Emanuel Pinheiro Neto (MDB-MT), Guilherme Boulos (PSOL-SP) e Sidney Leite (PSD-AM). Um deles será escolhido pelo presidente do Conselho de Ética, Leur Lomanto Júnior (União-BA), como relator do caso.

O procedimento foi iniciado por um pedido do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, que solicita a perda do mandato de Janones por "quebra de decoro parlamentar e condutas ilegais e incompatíveis com o cargo". O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu inquérito para investigar o caso.

Em áudios divulgados pelo portal Metrópoles, Janones diz que os servidores deveriam usar uma fatia dos salários recebidos da Câmara para pagar dívidas de campanha. Ele nega irregularidades e, pelas redes sociais, afirmou que o pedido revelado no áudio foi feito ainda antes de se eleger, em 2018, para pessoas que ainda não trabalhavam em sua equipe. Ele negou ainda que tenha colocado a sugestão em prática, já que a ideia foi "vetada" por sua advogada

As denúncias contra Janones partiram de ex-funcionários de seu gabinete. Eles relatam que eram obrigados a contribuir com um percentual, cujos saques seriam operados pela atual prefeita de Ituiutaba, em Minas Gerais, Leandra Guedes. Ao GLOBO, dois ex-assessores disseram que a prática envolvia até mesmo os valores recebidos como 13º e chegava a 60% dos vencimentos.

Além de acusá-lo de rachadinha, o PL usa como base do pedido de cassação as informações que constam no livro de Janones, que revelam que ele difundiu fake news durante a campanha eleitoral de 2022. O deputado participou da campanha que elegeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no ano passado, colaborando com a equipe de comunicação do petista. Na ocasião, organizou lives com o então candidato para falar sobre Bolsa Família.

Acompanhe tudo sobre:Bolsa famíliaLuiz Inácio Lula da Silva

Mais de Brasil

Quem é Mello Araújo, anunciado como vice de Nunes em São Paulo

Lula anuncia R$ 194 milhões para construção de 1,3 mil casas no Piauí

Justiça Federal homologa acordo para preservação da Cinemateca

Nunes e Tarcísio confirmam ex-chefe da Rota indicado por Bolsonaro como vice

Mais na Exame