Acompanhe:

Comando da Vale segue indefinido após mais uma reunião do Conselho

Conselheiros da mineradora se reuniram em encontro extraordinário para tratar da sucessão do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, mas não chegaram a uma definição, informou a companhia

Modo escuro

Continua após a publicidade
Operação da Fábrica de Blocos na Mina do Pico, produzidos a partir de rejeitos da mineração, no Complexo Vargem Grande da Vale, em Minas Gerais. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Operação da Fábrica de Blocos na Mina do Pico, produzidos a partir de rejeitos da mineração, no Complexo Vargem Grande da Vale, em Minas Gerais. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Mais uma reunião extraordinária do Conselho de Administração da Vale, para discutir o futuro do atual CEO da mineradora, Eduardo Bartolomeo, terminou sem uma definição nesta quinta-feira, 15.

Em nota à imprensa, a companhia informou que “a reunião terminou de forma inconclusiva e o Conselho voltará a se reunir nos próximos dias em busca de uma definição sobre o assunto”.

O mandato de Bartolomeu vai até 26 de maio próximo. A companhia já informou publicamente que tem até o fim do mandato para decidir se o atual CEO terá o contrato renovado ou se será substituído.

No último dia 2, outra reunião extraordinária do Conselho para tratar do tema já havia terminado sem uma definição. Na ocasião, os conselheiros se reuniram em torno da apresentação de um relatório de avaliação de desempenho de Bartolomeo. O documento sugere que seja feito um processo seletivo para o cargo, com a possibilidade de que o atual CEO participe, disse uma fonte na ocasião, pedindo anonimato.

Janeiro decisivo

Janeiro foi um mês decisivo para a sucessão da Vale por causa da proximidade do fim do mandato de Bartolomeo. A possibilidade de trocar o CEO inflamou as disputadas entre os acionistas da mineradora, marcadas pela necessidade de enfrentar as consequências da tragédia de Brumadinho (MG) – onde, cinco anos atrás, o rompimento de uma barragem de rejeitos deixou 270 mortos – e acirradas por uma reestruturação que transformou a empresa numa corporação, sem controle definido, em novembro de 2020.

Além disso, o fim do mandato de Bartolomeo se aproxima no contexto em que a Vale ganhou um novo acionista relevante, o gigante do etanol e açúcar Cosan, com pouco menos de 5%, e em que houve mudança no Palácio do Planalto.

Desde o início do terceiro governo Lula, circula nos bastidores a informação de que o presidente gostaria de indicar o ex-ministro Guido Mantega como CEO da Vale, embora a influência direta do governo federal sobre a mineradora tenha diminuído após a reestruturação de 2020. Mês passado, o governo federal elevou a pressão política sobre a companhia, até que, no último dia 26, sinalizou – também nos bastidores – que desistiu da ideia.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Com Vale e Petrobras, Ibovespa vira e fecha no azul
seloMercados

Com Vale e Petrobras, Ibovespa vira e fecha no azul

Há um dia

Vale anuncia compra de participação da Cemig na Aliança Energia
seloMercados

Vale anuncia compra de participação da Cemig na Aliança Energia

Há 5 dias

Vale retira 12ª barragem de estado de emergência e projeta zerar até 2025 estruturas em nível 3
Brasil

Vale retira 12ª barragem de estado de emergência e projeta zerar até 2025 estruturas em nível 3

Há 6 dias

TRF publica decisão que livra ex-presidente da Vale de ações penais pela tragédia de Brumadinho
Brasil

TRF publica decisão que livra ex-presidente da Vale de ações penais pela tragédia de Brumadinho

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais