Com Lava Jato, Alves decide sair do grupo de ministeriáveis

Derrotado na disputa ao governo do Rio Grande do Norte em outubro, Henrique Eduardo Alves ficará sem mandato a partir de fevereiro de 2015

Brasília - O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), divulgou nesta terça-feira nota em que anuncia que pediu ao vice-presidente e presidente do seu partido, Michel Temer, que não colocasse seu nome à disposição para participar do ministério no governo Dilma Rousseff.

O nome de Henrique Alves para assumir cargo na Esplanada dos Ministérios entrou em xeque após o jornal O Estado de S. Paulo ter revelado que ele foi um dos 28 envolvidos na delação premiada feita pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa no curso da Operação Lava Jato.

Derrotado na disputa ao governo do Rio Grande do Norte em outubro, Henrique ficará sem mandato a partir de fevereiro de 2015.

Ele estava cotado para assumir o Ministério da Previdência.

Na nota, a assessoria de imprensa do presidente da Câmara afirmou que ele, ao pedir a Temer que desconsiderasse seu nome da lista do PMDB para compor o "honroso novo ministério", "faz questão que seja esclarecida a citação absurda envolvendo o seu nome".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.