Brasil

Ciclone extratropical castiga Sul e Inmet eleva nível de alerta de tempestades para "muito perigoso"

No Rio Grande do Sul, os ventos vão ser sentidos na região metropolitana de Porto Alegre e área do sudeste, nordeste e centro oriental do estado

A Defesa Civil Municipal emitiu um alerta preventivo nesta quinta-feira, 15, frente à possibilidade de um grande acumulado de chuva e rajadas de vento intensas em Porto Alegre nas próximas 24 horas. O monitoramento, que foi intensificado na manhã desta quinta, deve se manter desta forma até final da manhã de sexta-feira, 16 (Alex Rocha/PMPA/Divulgação)

A Defesa Civil Municipal emitiu um alerta preventivo nesta quinta-feira, 15, frente à possibilidade de um grande acumulado de chuva e rajadas de vento intensas em Porto Alegre nas próximas 24 horas. O monitoramento, que foi intensificado na manhã desta quinta, deve se manter desta forma até final da manhã de sexta-feira, 16 (Alex Rocha/PMPA/Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 13 de julho de 2023 às 10h12.

Última atualização em 13 de julho de 2023 às 11h01.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) elevou para "muito perigoso" o nível das tempestades e vendavais que atingem os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Segundo as previsões do instituto, os ventos provocados pelo ciclone extratropical que passa pela costa leste do sul do Brasil, podem atingir uma velocidade acima de 100 km/h e causar danos em edificações, gerar corte de energia elétrica, provocar queda de árvores, levar transtornos para o transporte rodoviário, e castigar plantações.

No Rio Grande do Sul, os ventos vão ser sentidos na região metropolitana de Porto Alegre e área do sudeste, nordeste e centro oriental do estado. Em Santa Catarina, o vendável deverá ser notado na Grande Florianópolis e no litoral sul, bem como na região serrana e no Vale do Itajaí.

A Defesa Civil de Santa Catarina também emitiu um alerta na noite desta quarta-feira, 12. O órgão informa que haverá um "declínio acentuado das temperaturas e frio intenso" nesta quinta-feira, 13, provocado pelo avanço de uma massa de ar frio. "Durante todo o dia, os ventos causados por um ciclone extratropical deixam a sensação térmica ainda mais baixa, provocando frio intenso no Estado", disse.

A Defesa Civil do estado catarinense pede que as pessoas tenham atenção com a população mais vulnerável (como idosos, crianças, enfermos e pessoas em situação de rua), protejam os animais domésticos e orienta a população a se agasalhar e beber bastante água. "Para evitar a transmissão de vírus, evite locais fechados ou com aglomeração de pessoas e mantenha a higiene das mãos", completa o órgão.

Microexplosão provocada pelo ciclone extratropical 

Na terça-feira, também em razão das fortes rajadas de vento e quedas de árvores, um galpão em Herval D'Oeste, cidade a oeste do Estado catarinense, ficou destruído. A Defesa Civil que classificou o fenômeno meteorológico como uma "microexplosão".

O Inmet já tinha declarado estado de muito perigo (alerta vermelho) para caso de tempestades no Rio Grande do Sul, com a previsão de chuva superior a 100 mm/dia, queda de granizo e ventos acima de 100 km/h, nesta quarta. O órgão também alertou para o risco de danos em edificações, corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores, alagamentos e transtornos no transporte rodoviário.

Na tarde desta quarta, a Defesa Civil do Rio Grande alertou que a situação de perigo pode se estender até às 10h da manhã desta quinta-feira.

"Com as instabilidades avançando para a faixa Leste, parte da Campanha, Serra, Vales e Sul gaúcho com risco de temporais isolados, a Defesa Civil alerta para chuva forte, descargas elétricas, ventos de até 100 km/h e eventual queda de granizo. Válido até às 10h do dia 13/07/23", afirmou o órgão.

A Defesa Civil também emitiu alertas de inundação a partir do aumento do nível de rios, como do rio Caí. Os alertas são válidos também até esta quinta-feira. A previsão de chuva intensa no Estado vai até sexta-feira, 14.

Como fica o tempo em SP com o ciclone extratropical

A frente fria também alcança o estado de São Paulo. A região não deve sofrer com os fortes ventos e tempestades intensos como no sul, segundo previsão do Inmet. Contudo a Defesa Civil do Estado também alerta que as temperaturas devem cair em diferentes pontos do território paulista, com pontos de geada em algumas regiões. Na capital, a previsão é de os termômetros registrem 8ºC de mínima e uma sensação térmica de 5ºC entre quinta e domingo, dia 16.

O Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da cidade de São Paulo informa que formação de uma área de baixa pressão no Sul do Brasil pode gerar ventos com rajadas moderadas a fortes, até 70 Km/h, na Capital e Grande São Paulo, com potencial para quedas de árvores.

A Defesa Civil alerta para fortes rajadas de vento na faixa leste do Estado na quinta e sexta-feira, e pede atenção especial para os moradores do litoral. "Nas áreas litorâneas, devido ao vento intenso, a agitação marítima aumentará, sendo recomendado evitar o mar e as orlas das praias. Proteja suas embarcações e evite navegar em alto mar, pois há risco de acidentes marítimos".

Quando o ciclone extratropical acaba?

De acordo com o Inmet, os ventos devem diminuir de intensidade a partir da quinta-feira, 13, quando o ciclone extratropical deve se deslocar para o Oceano Atlântico e perder força.

O que é um ciclone extratropical?

Segundo o Clima Tempo, um ciclone extratropical é uma uma área de baixa pressão atmosférica onde os ventos giram ao redor de um centro, sempre no sentido horário, no caso do Hemisfério Sul, formando um círculo completo.

Quanto mais baixa a pressão do ar no centro do ciclone, mais fortes são os ventos e maior o potencial para o desenvolvimento de nuvens muito extensas, que provocam chuva volumosa e forte, ventania, raios e eventualmente granizo.

Com Estadão Conteúdo. 

Acompanhe tudo sobre:ClimaMudanças climáticas

Mais de Brasil

Dino nega pedido de desembargadores do TRF-4 para voltarem ao cargo

Onda de calor termina, mas altas temperaturas seguem no RJ; entenda

Cratera se abre em condomínio próximo à obra da Linha 6 do metrô em SP

Chuvas em Santa Catarina: oito municípios decretam situação de emergência após temporais

Mais na Exame