Brasil
Acompanhe:

Chuvas no Paraná: cerca de 7 mil m³ de terra já foram retirados da BR-376

Bombeiros estimam que até 30 pessoas possam estar soterradas; busca por sobreviventes do deslizamento segue

 (CBMSC/Divulgação)

(CBMSC/Divulgação)

A
Agência O Globo

Publicado em 1 de dezembro de 2022, 17h33.

Última atualização em 1 de dezembro de 2022, 17h37.

Após mais de 50 horas de trabalhos ininterruptos, as equipes do Corpo de Bombeiros e da Arteris Litoral Sul, concessionária que administra o trecho da BR-376, onde houve o desmoronamento de terra no Paraná na segunda-feira, 28, registraram a retirada de cerca de 7 mil metros cúbicos de terra do local.

Os trabalhos de limpeza começaram na terça-feira, 29, após análises de geólogos para atestarem a segurança do local. O volume de terra que despencou do alto da barreira cobriu uma faixa de aproximadamente 100 metros, atingindo duas faixas sentido sul e outras duas no sentido norte. A rodovia é o principal acesso entre os estados do Paraná e Santa Catarina.

O Corpo de Bombeiros já iniciou as operações na região mais sensível da ocorrência, que é a parte em que a massa de terra deslocou alguns veículos, inclusive caindo sobre eles. A área conta com uma extensão de aproximadamente 4,5 mil metros quadrados e o volume de terra a ser removido tem aproximadamente 5 mil metros cúbicos. No ponto mais sensível os bombeiros utilizam cães de buscas e contam com o apoio do maquinário da concessionária.

Conforme o último boletim divulgado no fim da manhã desta quinta-feira, 1º, menos de 30 pessoas devem ter sido vítimas do incidente. Dezenove famílias entraram em contato com a Central de Atendimento da Polícia Científica, pelo telefone (41) 3361-7242 e também pelo Centro de Operações Cidade da Polícia no 0800-282-8082, relatam o desaparecimento de entes e familiares.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.