Brasil

Brasil fica entre os piores em teste de criatividade do Pisa; conheça as questões

País ficou entre os 15 últimos dos 57 países avaliados, com dez pontos abaixo da média da OCDE; Singapura volta a liderar o ranking

 (Bússola/Reprodução)

(Bússola/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 18 de junho de 2024 às 11h43.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 12h11.

O Brasil ficou entre os 15 piores na avaliação do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) sobre criatividade divulgada nesta terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A liderança, assim como linguagens, matemática e ciências, ficou com Singapura.

O país asiático ficou com 41 pontos. Já o Brasil tirou 23 pontos, dez abaixo da média da OCDE e no mesmo patamar de países como Peru, Panamá e El Salvador.

O Pisa define o pensamento criativo como "a competência para se envolver produtivamente na geração, avaliação e melhoria de ideias que possam resultar em soluções originais e eficazes, avanços no conhecimento e expressões impactantes da imaginação" e afirma que ele pode ser desenvolvido por meio da prática e que pode ser demonstrada em contextos cotidianos.

Fazem a prova alunos entre 15 anos e 3 meses e 16 anos e 2 meses na época da avaliação que completaram pelo menos seis anos de educação formal. No teste, os estudantes tiveram 1 hora para responder a 18 questões, que avaliaram quatro dimensões:

  • Expressão escrita: envolve comunicar ideias e imaginação por meio da linguagem escrita;
  • Expressão visual: envolve comunicar ideias e imaginação por meio de uma variedade de diferentes mídias;
  • Resolução de problemas sociais: envolve compreender diferentes perspectivas, atender às necessidades de outras pessoas e encontrar soluções inovadoras e funcionais para as partes envolvidas;
  • Resolução de problemas científicos: envolve gerar novas ideias, projetar experimentos para investigar hipóteses e desenvolver novos métodos ou invenções para resolver problemas.

Em uma das questões, os estudantes foram apresentados a uma pintura, e o item pedia para que eles escrevessem três títulos para a imagem. Em outra, eram apresentadas quatro imagens formando uma história em quadrinhos e o aluno precisava criar os diálogos.

A maioria dos 12 países que superaram a média da OCDE em pensamento criativo também superaram a média em matemática, leitura e ciências. Apenas Portugal obteve um desempenho acima da média da OCDE em pensamento criativo (34 pontos), mas não significativamente diferente da média das outras provas.

Quatro países e economias — República Tcheca, Hong Kong (China), Macau (China) e Taipei (China) — obtiveram desempenho igual ou abaixo da média da OCDE em pensamento criativo, apesar de serem sistemas de alto desempenho (ou seja, com desempenho acima da média da OCDE) em matemática, leitura e ciências.

Acompanhe tudo sobre:EducaçãoCriatividadeCriançasPisaBrasil

Mais de Brasil

Convenção do PRTB e disputas judiciais podem barrar Pablo Marçal na disputa em SP; entenda

TSE divulga perfil do eleitor que vai às urnas em outubro; veja qual é

Brasil terá mais de 155 milhões de eleitores nas eleições municipais de 2024

Guarulhos e Galeão têm atrasos causados por efeitos do apagão cibernético global

Mais na Exame