• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Brasil leva cinco Leões de Ouro em Cannes

Com os 17 prêmios de Lions Health, o Brasil já chega a 43 Leões em 2015

	Três dos cinco ouros vieram na categoria Promo & Activation (ações promocionais), para duas campanhas da Ogilvy e outra para a FCB Brasil (Nivea)
 (Bloomberg)
Três dos cinco ouros vieram na categoria Promo & Activation (ações promocionais), para duas campanhas da Ogilvy e outra para a FCB Brasil (Nivea) (Bloomberg)
Por Fernando SchellerPublicado em 23/06/2015 11:19 | Última atualização em 23/06/2015 11:19Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Cannes - O Brasil ganhou 26 Leões no primeiro dia de premiações de Cannes Lions - Festival Internacional de Criatividade. O desempenho brasileiro incluiu cinco Leões de ouro, sendo dois para a Ogilvy, um para a AlmapBBDO, um para F/Nazca Saatchi & Saatchi e outro para a FCB Brasil.

Em número de prêmios, o desempenho foi mais forte em Promo & Activation (12). Depois vieram Press (11) e Direct (3). Com os 17 prêmios de Lions Health, o Brasil já chega a 43 Leões em 2015.

Três dos cinco ouros vieram na categoria Promo & Activation (ações promocionais), para duas campanhas da Ogilvy (ambos para a mesma ação para o time pernambucano Sport Clube Recife) e outra para a FCB Brasil (Nivea).

O quarto veio numa categoria em que o Brasil costuma ser forte, Press (mídia impressa), para um anúncio sobre o sistema de ar condicionado de um veículo da Volkswagen. A F/Nazca levou o quinto ouro em Direct.

Depois de ganhar o Grand Prix no ano passado, com outra campanha da FCB Brasil para a Nivea, o Brasil ficou completamente de fora dos prêmios distribuídos em Mobile Lions, voltado a campanhas desenvolvidas para dispositivos móveis.

Segundo Joanna Monteiro, vice-presidente da FCB e presidente do júri, os aspectos técnicos e de desenvolvimento tiveram forte peso na decisão do júri este ano, que era formado, em sua maioria, por profissionais de tecnologia - o que acabou prejudicando o Brasil.

O País também não recebeu nenhum Grand Prix até o momento. O presidente do júri de Promo & Activation, Matt Eastwood, disse que a campanha Nivea Doll, que distribuiu bonecas que simulam queimaduras de sol quando não usam protetor solar, chegou a disputar o prêmio máximo ao tentar conscientizar as crianças da importância dos cuidados com a pele. O júri, no entanto, acabou indo em outra direção.

Prêmios principais

No caso de Promo & Activation e também de Direct Lions - duas categorias que premiam campanhas que têm uma interação direta com o consumidor -, o cliente vencedor foi a Volvo.

Em Promo, o anúncio escolhido foi uma campanha de conscientização para os cuidados que os motoristas devem ter com os ciclistas.

A Grey London desenvolveu uma tinta especial que faz as bicicletas brilharem no escuro - a peça foi chamada de Tinta da Vida (Life Paint). Em Direct Lions, uma promoção feita pela Volvo em redes sociais no mercado americano recebeu o Grand Prix.

Trata-se de um caso clássico de campanha de baixo custo e alto impacto. A promoção pedia que internautas escrevessem um post sobre a Volvo toda a vez que um comercial de automóvel de qualquer marca fosse exibido na televisão.

A campanha da Grey New York não só promovia a Volvo, mas tentava também roubar a atenção da concorrência.

Em Press, a escolha foi baseada no melhor design. Dividido entre uma campanha global da Coca-Cola e outra específica para o sistema de aluguel de bicicletas de Buenos Aires, o júri optou pela última por causa da ousadia do trabalho artístico.

Apesar de ter sido veiculada na Argentina, o prêmio pertence aos EUA, pois a peça foi criada pela agência La Comunidad, de Miami.

Em Mobile Lions, o prêmio máximo não foi para uma agência de publicidade, mas para o Google, que desenvolveu uma ferramenta barata para que qualquer empresa desenvolva aplicativos de celular com o uso da realidade virtual.

Graças a essa tecnologia, o investimento em realidade virtual, que antes exigia milhares de dólares, agora é de US$ 20.

Pratas e bronzes

Entre os Leões de Prata do Brasil, um veio em Press (campanha da Y&R para a sorveteria Freddo), e quatro em Promo & Activation (FCB para Nivea e HP, DM9DDB para o Masp e Ogilvy para a instituição Graac).

Em Promo, o Brasil teve cinco bronzes (dois para FCB e um para Ogilvy, Publicis, Lew’LaraTBWA). Em Direct, foram mais dois (ambos para a FCB). Em Press, foram nove (Lew’Lara, Ogilvy, F.biz, Wunderman, Revolution, Y&R e Leo Burnett Tailor Made, além de dois para AlmapBBDO).

Veja Também

SXSW 2022: a distopia nua e crua de Amy Webb
Um conteúdo Bússola
Há 2 meses • 3 min de leitura

SXSW 2022: a distopia nua e crua de Amy Webb

SXSW 2022: narrativas para recriar o futuro
Um conteúdo Bússola
Há 2 meses • 4 min de leitura

SXSW 2022: narrativas para recriar o futuro