Acompanhe:

Brasil comemora aprovação de Bachelet para as Nações Unidas

Michelle Bachelet foi duas vezes presidente do Chile, marcando sua gestão pelas causas sociais e defesa dos direitos humanos

Modo escuro

Continua após a publicidade
Michelle Bachelet: Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos assume o cargo no dia 1º de setembro (Jorge Silva/Reuters)

Michelle Bachelet: Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos assume o cargo no dia 1º de setembro (Jorge Silva/Reuters)

A
Agência Brasil

Publicado em 10 de agosto de 2018 às, 19h20.

O governo do Brasil comemorou hoje (10) a aprovação da ex-presidente do Chile Michelle Bachelet como Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos. O nome dela foi aprovado por aclamação pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Ela assume o cargo no dia 1º de setembro.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores destacou a capacidade da ex-presidente chilena, sua história de defesa dos direitos humanos e colocou-se à disposição para contribuir.

"O governo brasileiro confia na capacidade de Michelle Bachelet de lidar com os desafios que se apresentam ao sistema internacional de direitos humanos e oferece seu apoio para que cumpra, com êxito, seu mandato como Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos", diz a nota do Itamaraty.

Michelle Bachelet foi duas vezes presidente do Chile, marcando sua gestão pelas causas sociais e defesa dos direitos humanos. Tem uma história ligada à luta pela democracia, uma vez que seu pai foi vítima da ditadura de Augusto Pinochet.

Após deixar o governo, a chilena foi a primeira diretora-executiva da ONU Mulheres e atualmente lidera uma aliança internacional para a saúde das mães, os recém-nascidos e as crianças. Pediatra, Michelle Bachelet tem preocupações com saúde pública.

Nas últimas semanas, seu nome era especulado como possível substituição de Zeid, um cargo para o qual tinha postulado publicamente o suíço Nils Melzer, atualmente relator especial da ONU sobre a tortura.

A nota do Itamaraty lembra a trajetória internacional de Bachelet nas Nações Unidas. "Foi a primeira diretora-executiva da ONU Mulheres, organização na qual se empenhou para fazer avançar o tema da igualdade de gênero. Ocupou por dois mandatos a presidência do Chile. Valendo-se de sua formação como pediatra, lidera, também, uma aliança internacional para a saúde materna e infantil."

Últimas Notícias

Ver mais
Governo brasileiro se manifesta pela 1ª vez sobre explosões no Irã e pede 'máxima contenção'
Brasil

Governo brasileiro se manifesta pela 1ª vez sobre explosões no Irã e pede 'máxima contenção'

Há 16 horas

Entenda qual é a proposta da Colômbia para as eleições na Venezuela
Mundo

Entenda qual é a proposta da Colômbia para as eleições na Venezuela

Há um dia

Dia dos Povos Indígenas: por que a data é celebrada em 19 de abril?
Pop

Dia dos Povos Indígenas: por que a data é celebrada em 19 de abril?

Há um dia

Mauro Vieira participa de reunião da ONU; expectativa é que defenda Palestina como membro pleno
Mundo

Mauro Vieira participa de reunião da ONU; expectativa é que defenda Palestina como membro pleno

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais