Baixa na equipe econômica: secretário da reforma administrativa se demite

Wagner Lenhart pediu demissão para iniciar "um novo ciclo pessoal e profissional", diz, em nota

O Ministério da Economia perdeu mais um quadro importante nesta sexta-feira, 12. O secretário de Gestão e Desempenho Pessoa, Wagner Lenhart, um dos principais responsáveis pela reforma administrativa, anunciou a saída do cargo. O motivo, segundo nota divulgada pela pasta, é "o início de um novo ciclo pessoal e profissional".

No lugar de Lenhart, assume o atual secretário-adjunto, Leonardo Sultani. "Comunico meu pedido de exoneração do cargo de Secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia. Com a proximidade do nascimento do meu primeiro filho e o início de um novo ciclo pessoal e profissional, entendo que é o momento de fazer a sucessão na Secretaria", diz a nota.

Lenhart deve passar a trabalhar na iniciativa privada. Segundo ele, a reforma administrativa continuará andando, mesmo com a troca na Secretaria. "Nossa gestão sempre considerou fundamental repensar a administração pública, propondo um modelo mais digital, moderno e focado no cidadão", afirma.

O pedido de demissão de Lenhart foi anunciado pouco depois da saída do então secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), Amaro Gomes. No início de março, em meio a reações negativas do mercado a respeito da ingerência do governo em estatais, ele também pediu para deixar o cargo, mas afirmou que a saída já era programada.

Reforma administrativa

O texto da reforma, enviado em setembro de 2020 pelo governo, com a participação de Lenhart, ainda não foi votado no Congresso. A proposta prevê mudanças no serviço público, como o fim da estabilidade para a maioria das carreiras e revisão de benefícios, como licença-prêmio e progressão de carreira baseada apenas em tempo de serviço.

Ao ser eleito presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) apontou a reforma administrativa como uma das prioridades da Casa. No fim de fevereiro, o deputado afirmou que a proposta poderia ser votada em dois meses. As novas regras, segundo ele, só valerão para novos servidores.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também