Brasil

8 de janeiro: STF forma maioria para tornar réus mais 200 investigados

Com os votos, o placar do julgamento está em 6 a 0 pelo recebimento. Dez ministros estão aptos a votar

A votação virtual sobre o recebimento das denúncias feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) vai até às 23h59 de terça-feira (EDISON BUENO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/Reprodução)

A votação virtual sobre o recebimento das denúncias feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) vai até às 23h59 de terça-feira (EDISON BUENO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/Reprodução)

Agência Brasil
Agência Brasil

Agência de notícias

Publicado em 28 de abril de 2023 às 06h35.

Última atualização em 28 de abril de 2023 às 06h36.

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta quinta-feira, 27, para tornar réus mais 200 envolvidos nos atos golpistas de 8 de janeiro.

Até o momento, o relator, Alexandre de Moraes, e os ministros Dias Toffoli, Cármem Lúcia, Luiz Fux, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso se manifestaram pelo recebimento das denúncias.

Com os votos, o placar do julgamento está em 6 a 0 pelo recebimento. Dez ministros estão aptos a votar.

A votação virtual sobre o recebimento das denúncias feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) vai até às 23h59 de terça-feira (2). Na modalidade virtual, os ministros depositam os votos no sistema eletrônico e não há deliberação presencial.

Após o fim do julgamento, os acusados passarão a responder a uma ação penal e se tornam réus no processo. Em seguida, Moraes vai analisar a manutenção da prisão dos acusados que ainda permanecem detidos.

Na semana passada, na primeira votação sobre o caso, a Corte aceitou denúncia e tornou réus 100 investigados pela participação nos atos.

Presos

Conforme levantamento do STF, das 1,4 mil pessoas que permaneceram presas no dia dos ataques, 294 (86 mulheres e 208 homens) continuam no sistema penitenciário do Distrito Federal. Os demais foram soltos por não representarem mais riscos à sociedade e às investigações.

Acompanhe tudo sobre:Supremo Tribunal Federal (STF)CPMI do 8 de janeiroPrisões

Mais de Brasil

Tarcísio sanciona lei das escolas cívico-militares em SP: 'Só vai quem quiser'

Linha 1-Azul do Metrô opera com velocidade reduzida nesta terça-feira

Formação de professor só poderá ter 50% de EAD, diz MEC

Após acordo sobre vetos de Bolsonaro, Congresso analisa vetos de Lula sobre saidinha

Mais na Exame