Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Millenium Papers está no ar! Confira

Estudo dos especialistas Bruno Funchal e Jeferson Bittencourt mostra a relação entre endividamento público e baixo crescimento

Com o final do ano e, principalmente, com as novas eleições se aproximando, todos costumamos questionar “como construir um país melhor?".

Invariavelmente, essa resposta (nada fácil) esbarra em um elemento muito importante: contas públicas. Buscar o equilíbrio entre a receita e as despesas do Estado, é a chave para termos a chance de buscar um futuro mais próspero, já que, nas palavras da CEO do Instituto Millenium, Marina Helena Santos, “é preciso cuidar das contas públicas para cuidar das pessoas”.

Por isso, esse foi o tema escolhido para as duas primeiras edições do Millenium Papers, novo projeto do Instituto Millenium, em parceria com a Consultoria de Inteligência especializada em Ciência de Dados, Neocortex, lançado hoje, com o objetivo de ampliar o debate sobre políticas públicas, por meio de policy papers feitos por grandes especialistas no tema Brasil.

Estreando o Millenium Paper, temos o estudo “Sob a espada do endividamento", no qual os autores Jeferson Bittencourt, auditor Federal de Finanças e Controle ex-Secretário do Tesouro, e Bruno Funchal, professor titular da Fucape e ex-Secretário Especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, mostram como o alto endividamento público atrapalha o crescimento do país.

Bruno Funchal explica que essa relação entre o aumento da dívida pública e a diminuição do crescimento, pode ser percebida a médio e longo prazo. "Às vezes é feita uma política fiscal expansionista, o que acaba aumentando a dívida e gerando o que a gente chama de 'voo de galinha'. Ou seja, é possível crescer muito no curto prazo, mas o crescimento de longo prazo é muito comprometido, e isso tem que ser evitado”.

Para Jeferson Bittencourt a discussão sobre equilíbrio fiscal é fundamental às vésperas de um ano eleitoral. “Temos que pensar qual é o tamanho da conta que nós queremos deixar para os nossos filhos e netos. Porque o contexto é totalmente diferente se deixarmos para os filhos e netos, por exemplo, um investimento, uma estrada, uma ponte, uma fábrica de vacina, e uma dívida que paga esses equipamentos. Ou se deixarmos para as futuras gerações uma folha de pagamento elevada, com um volume elevado de benefícios, para servidores públicos”, destaca.

Vem por aí

Além dos policy papers, o Instituto produzirá vídeos educativos sobre os conteúdos e videocasts, chamados “Millenium Talks”, com a participação dos autores e convidados especiais. O primeiro “Talk” será divulgado junto com o segundo artigo, em janeiro, e contará com a participação dos autores e do economista Ricardo Amorim.

De acordo com Ricardo Amorim, “todos nós temos que nos envolver com esse assunto porque é isso que nos fará sair da crise, não um salvador da pátria”.

Quer saber mais sobre o assunto? Clique e confira o estudo na íntegra!

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também