Combate à pirataria no futebol

Pirataria no futebol brasileiro chega a 40% das vendas totais

A Meltex Franchising, que administra as rede de lojas oficiais de Palmeiras, Santos e Fluminense, vai intensificar sua cobrança para uma fiscalização maior por parte dos órgãos públicos no combate à pirataria, principalmente na porta dos estádios em dias de jogos. A empresa, que gerencia aproximadamente 50 estabelecimentos em todo o país, fará isso em parceria com os clubes.

Estudos de mercados apontam que a cada dez camisas vendidas de um clube, quatro são piratas. E essa venda ilegal é mais intensa em dia de jogos, nas proximidades dos estádios e arenas. A Meltex e os clubes (Palmeiras, Santos e Fluminense) também passarão a colocar caminhões e stands com produtos oficiais nas imediações das partidas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.