EXAME Agro

Brasil tem primeira Denominação de Origem de espumantes

O processo para a obtenção da Denominação de Origem levou cerca de uma década e foi conferido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial

Espumante: bebida da Vinícola Aurora faz parte da D.O. Altos de Pinto Bandeira. (Helio Werneck / Vinícola Aurora/Divulgação)

Espumante: bebida da Vinícola Aurora faz parte da D.O. Altos de Pinto Bandeira. (Helio Werneck / Vinícola Aurora/Divulgação)

GG

Gilson Garrett Jr

Publicado em 11 de fevereiro de 2023 às 08h21.

Última atualização em 13 de fevereiro de 2023 às 10h27.

Os amantes do vinho têm um bom motivo para brindar. O Brasil tem a primeira Denominação de Origem exclusiva para espumantes do Novo Mundo, recorte que exclui apenas os espumantes feitos na Europa. A D.O. Altos de Pinto Bandeira fica no Rio Grande do Sul, e abrange 65 km² de área contínua, sendo 76% localizada no município de Pinto Bandeira, 19% em Farroupilha e 4% em Bento Gonçalves. Dentro da região estão grandes vinícolas como a Aurora, Don Giovanni, Geisse e a Valmarino, que já produzem espumantes com a nova regra.

O processo para a obtenção da Denominação de Origem levou cerca de uma década e foi conferido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI. Com essa nova D.O., o Brasil chega a 108 indicações geográficas registradas, sendo 33 denominações de origem e 75 indicações de procedência. Entre as regras que precisam ser cumpridas está a produção de espumantes com as uvas Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico. O sistema de condução precisa ser pelo método espaldeira e a segunda fermentação deve ser feita em garrafa, método chamado de champenoise.

Cadastre-se na newsletter EXAME Agro e fique por dentro das principais notícias do setor

Todo o processo de criação da D.O Altos de Pinto Bandeira foi feita em conjunto com a Embrapa, Universidade de Caxias do Sul, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Sebrae, Sicredi e prefeitura de Pinto Bandeira. Para ter o selo no rótulo, os espumantes precisam ser aprovados anualmente por um conselho regulador. O assunto foi o tema do mais recente episódio do programa do EXAME Agro.

yt thumbnail

Notícias exclusivas de agro e o que movimenta o mercado

Você já conhece a newsletter semanal EXAME Agro? Receba na sua caixa de e-mail as principais notícias sobre o agronegócio e histórias dos empreendedores que fazem a diferença no campo. Cadastre-se aqui gratuitamente e acompanhe também o programa EXAME Agro no YouTube.

Acompanhe tudo sobre:BebidasRio Grande do SulVinhos

Mais de EXAME Agro

Exportações do agronegócio alcançam recorde de US$ 15,24 bilhões em abril

Mais valioso do que ouro: conheça o mel de abelhas sem ferrão, que chega a custar R$ 1.300 o litro

Conab fará 1º leilão de compra de arroz importado na próxima semana

Como a agroecologia pode ser uma alternativa para enfrentar a fome e as mudanças climáticas?

Mais na Exame