Acompanhe:

Brasil amplia liderança no agronegócio global

O País, que já era líder nas vendas de café verde, carne bovina, frango in natura, celulose, soja em grão e açúcar, agora também é o maior exportador de milho — e quer atingir recordes no algodão

Modo escuro

Continua após a publicidade
Com a colheita crescendo, o Brasil tem condições de se tornar o maior exportador da fibra no mundo (Lucas Ninno/Getty Images)

Com a colheita crescendo, o Brasil tem condições de se tornar o maior exportador da fibra no mundo (Lucas Ninno/Getty Images)

O Brasil se consolida, cada vez mais, como o maior exportador agrícola do mundo. O País, que já era líder nas vendas de café verde, carne bovina, frango in natura, celulose, soja em grão e açúcar, agora também é o maior exportador de milho, superando os Estados Unidos.

No ano que vem, o País deve ultrapassar os americanos também na produção de algodão, ocupando a terceira posição no ranking mundial, atrás de China e Índia. Com a colheita crescendo, o Brasil tem condições de se tornar o maior exportador da fibra no mundo, desbancando os Estados Unidos.

Liderança no agro

A liderança é decorrente de uma série de fatores. No mercado interno, o País tem batido recordes consecutivos na safra de grãos, resultado também do aumento da produtividade nacional. A tecnologia do plantio direto, a irrigação e o melhoramento genético dos cultivares já permitem que os agricultores brasileiros de forma geral consigam colher até três safras agrícolas por ano numa mesma área.

No exterior, a quebra de safra nos Estados Unidos e na Argentina por causa do clima e a guerra na Ucrânia também explicam os números. A redução da oferta dos principais produtores abriu a perspectiva de aumento das exportações para a grande safra brasileira.

O protagonismo brasileiro no ranking mundial do agronegócio foi estampado no último relatório do departamento de agricultura dos Estados Unidos (USDA), de 12 de setembro. Pelo documento, o País exportou 57 milhões de toneladas de milho ante 42,29 milhões de toneladas dos produtores americanos no ano safra 2022/2023, que vai de agosto a julho. Na safra atual, o USDA projeta exportações de milho de 55 milhões de toneladas para o Brasil e de 52,07 milhões para os Estados Unidos.

Subindo nos rankings

No algodão, a perspectiva é a de que as vendas externas da safra 2023/24 dos Estados Unidos somem 2,67 milhões de toneladas, apenas 100 mil toneladas acima dos volumes exportados pelo Brasil (2,57 milhões de toneladas). No mesmo período, a expectativa é a de que o Brasil produza 3 milhões de toneladas de algodão, à frente dos Estados Unidos (2,859 milhões).

No caso do milho, na safra 2022/23, a produção total atingiu quase 132 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Com a recuperação da produtividade nos Estados do Sul e do Mato Grosso, a safra foi 17% maior do que a do ano anterior, que já tinha sido recorde.

"Esse aumento da produção fomentou as exportações brasileiras", afirma Tiago Pereira, assessor técnico da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Agricultura quer ampliar exportações de carne para União Africana
EXAME Agro

Agricultura quer ampliar exportações de carne para União Africana

Há um dia

Como a União Europeia tenta diminuir insatisfação de agricultores
EXAME Agro

Como a União Europeia tenta diminuir insatisfação de agricultores

Há um dia

Omã abre mercado para bovinos vivos ao Brasil, informa Ministério da Agricultura
EXAME Agro

Omã abre mercado para bovinos vivos ao Brasil, informa Ministério da Agricultura

Há 3 dias

UE propõe flexibilizar exigências e reduzir os controles sobre os agricultores
EXAME Agro

UE propõe flexibilizar exigências e reduzir os controles sobre os agricultores

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais