• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Obama não fará nova oferta ao Congresso sobre abismo fiscal

Obama deve pedir aos parlamentares que votem um plano que permita aumentos de impostos para aqueles que ganham mais de 250 mil dólares
O líder republicano no Senado, Harry Reid, chega na Casa Branca para reunião com Barack Obama e outros membros do Congresso (REUTERS/Jonathan Ernst)
O líder republicano no Senado, Harry Reid, chega na Casa Branca para reunião com Barack Obama e outros membros do Congresso (REUTERS/Jonathan Ernst)
Por Da RedaçãoPublicado em 28/12/2012 18:27 | Última atualização em 28/12/2012 18:27Tempo de Leitura: 1 min de leitura

WASHINGTON - O presidente norte-americano, Barack Obama, não planeja fazer uma nova oferta para evitar aumentos de impostos e cortes de gastos que entram em vigor em 1 de janeiro, o chamado abismo fiscal, durante uma reunião na Casa Branca com líderes do Congresso nesta sexta-feira, disse uma fonte familiar com o encontro.

Na reunião, Obama deve pedir aos parlamentares que votem um plano que permita aumentos de impostos para aqueles que ganham mais de 250 mil dólares e que estenda os benefícios do seguro-desemprego, de acordo com a fonte.