Tecnologia

Twitter: Semana do Consumidor é a terceira data de compra mais mencionada 

Itens relacionados a esportes, música e tecnologia estão entre os mais desejados pelos consumidores brasileiros

Twitter (TWTR34) (Jaap Arriens/NurPhoto/Getty Images)

Twitter (TWTR34) (Jaap Arriens/NurPhoto/Getty Images)

LP

Laura Pancini

Publicado em 13 de março de 2022 às 10h00.

A Semana do Consumidor, que acontece de 14 a 18 de março, é a terceira data focada em compras com mais comentários no Twitter no Brasil. Somente ao longo de 2021, foram registrados 8,5 milhões de tuítes no país sobre promoções, descontos, produtos e marcas que gostam e desejam.

Por ser o lugar onde as pessoas vão para falar sobre assuntos de interesse e o que está acontecendo, a rede social pode ser um grande aliado para as marcas que queiram participar desta conversa.

"Na Semana do Consumidor, as pessoas costumam usar o Twitter para trocar informações sobre marcas e produtos e compartilhar links de promoções e descontos, e também comentar sobre as alegrias e possíveis frustrações após uma compra", ressalta Daniel Sobata, analista de pesquisa, marketing insights e analytics do Twitter Brasil.

Segundo o estudo, 77% das pessoas que usam o Twitter no Brasil pesquisam produtos antes de comprar e 49% das pessoas que utilizam a plataforma no país são leais às marcas que gostam.

Os principais interesses dos brasileiros que comentam sobre compras na plataforma no país são futebol (89%), filmes (83%), música (81%) e tecnologia (77%).

"São essas conversas que fazem do Twitter fundamental e estratégico para a decisão de compra dos consumidores e uma grande oportunidade para as marcas", destaca Sobata.

Acompanhe tudo sobre:ConsumidoresDia do ConsumidorTwitter

Mais de Tecnologia

Meta supera expectativas no balanço, mas novos projetos deixam investidores apreensivos

União entre Republicanos e Democratas contra o TikTok mostra o quão difícil é banir um aplicativo

Google proíbe impulsionamento de conteúdo político para as eleições de 2024 no Brasil

Android é melhor que Apple? Para o consumidor chinês, sim

Mais na Exame