Tensão em Taiwan: gigante de baterias adia anúncio de planta que produzirá para Tesla e Ford

A companhia prevê agora esperar até setembro ou outubro, torcendo pelo melhor cenário, para então fazer o anúncio
 (Qilai Shen/Bloomberg/Getty Images)
(Qilai Shen/Bloomberg/Getty Images)
B
Bloomberg

Publicado em 02/08/2022 às 15:50.

Última atualização em 02/08/2022 às 16:57.

Um gigante fornecedor chinês de baterias para veículos elétricos decidiu adiar o anúncio de uma fábrica americana multibilionária que seria fornecedora da Tesla e Ford devido às tensões levantadas pela viagem da presidente da Câmara Nancy Pelosi a Taiwan, segundo pessoas a par do assunto.

A Contemporary Amperex Technology, maior fabricante mundial de baterias para veículos elétricos, avalia pelo menos dois locais no México perto da fronteira com o Texas, bem como nos Estados Unidos para a planta. A empresa está em estágio avançado de seleção de locais e negociação de incentivos.

A companhia prevê agora esperar até setembro ou outubro para fazer o anúncio, disseram terça-feira pessoas familiarizadas com o processo, pedindo para não serem identificadas porque a informação não é pública. A preocupação é que uma divulgação possa aumentar as tensões em um momento delicado nos laços entre Estados Unidos e China em meio à controversa visita de Pelosi a Taiwan, disseram eles.

Um representante da empresa não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários. A Tesla também não respondeu e a Ford preferiu não comentar.

Pelosi desembarcou em Taipei, capital de Taiwan, na noite de terça-feira, horário local, diante de ameaças e oposição da China, que considera Taiwan como parte de seu território. A viagem de Pelosi faz dela a política de mais alto escalão dos EUA a visitar a ilha em 25 anos, o que as autoridades chinesas chamaram de “provocativa.”

A sede da Contemporary Amperex Technology está localizada em Fujian, do outro lado do Estreito de Taiwan. A China anunciou que exercícios militares acontecerão em torno da ilha esta semana em resposta à visita de Pelosi a Taipei.

A Bloomberg News informou no mês passado que a empresa avalia Ciudad Juarez, no estado de Chihuahua, e Saltillo, em Coahuila, e que está contemplando um investimento de até US$ 5 bilhões no projeto. Locais nos EUA e no México ainda estão sob consideração ativa, e não há intenção de abandonar o plano, disseram as pessoas.