Qualquer pessoa pode entrar no metaverso? Veja mitos e verdades sobre a nova tecnologia

Ao passo que ganha destaque, a maior tendência tecnológica da década também se torna alvo de dúvidas e especulações; entenda o que é mito e o que é verdade sobre o assunto
 (Getty Images/Getty Images)
(Getty Images/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 05/08/2022 às 14:54.

Última atualização em 05/08/2022 às 15:51.

Se você acompanha os noticiários, deve ter percebido que não é de hoje que o metaverso começou a ganhar notoriedade. Com a promessa de romper de vez as barreiras entre a realidade física e o mundo virtual (e, com isso, revolucionar a economia, o mercado de trabalho e as formas de se relacionar que conhecemos hoje), a nova tecnologia aparece com cada vez mais frequência nas rodas de debate e já se tornou uma das principais apostas de empresas em todo o mundo.

(EXAME/Reprodução)

(EXAME/Reprodução)

(EXAME/Reprodução)

Mas, além de marcas bilionárias e mundialmente conhecidas que já começaram a oferecer experiências imersivas a seus clientes no metaverso, influenciadores digitais, equipes médicas, instituições financeiras, igrejas e até mesmo governos anunciaram inciativas relacionadas a ele nos últimos meses – o que contribuiu para o aumento do interesse global sobre o tema.

Saia na frente! Clique aqui e descubra como dar o primeiro passo para dominar as técnicas e ferramentas dessa nova tecnologia

Nesse contexto, é natural que surjam dúvidas e especulações sobre a nova tecnologia. Para ajudar a contextualizar curiosos e entusiastas do tema, listamos abaixo cinco mitos e verdades sobre o metaverso. Confira.

1. O metaverso foi criado por Mark Zuckeberg

– Mito

Desde outubro do ano passado, quando o Facebook anunciou que mudaria o seu nome para Meta, o metaverso passou a chamar mais a atenção do mercado, mas o conceito já existia muito antes de Mark Zuckerberg trazê-lo ao centro das discussões.

Na verdade, o termo foi usado pela primeira vez no início da década de 1990, em um livro chamado Snow Crash. Na obra de ficção cientifica, os personagens utilizavam avatares de si mesmos para viajar por um universo online e se salvar de uma distopia capitalista.

Cerca de uma década depois, o conceito também apareceu no jogo Second Life, um ambiente virtual em 3D que simula a vida através da interação entre avatares.

2. O metaverso será restrito ao mundo dos games

– Mito

Pode até ser que, há pouco tempo atrás, a existência de um espaço que mistura a realidade e a internet com uma realidade física virtualmente aprimorada só pudesse ser concebida dentro do universo dos games. Mas o metaverso surge justamente para dar um passo além. Por meio dele, esse tipo de tecnologia deve ser aplicada em diferentes setores e mercados. Aliás, como dissemos no início deste texto, desfiles de moda, reuniões corporativas, compras e aulas online, cultos religiosos e até serviços consulares já estão sendo realizadas por lá.

3. Já existem oportunidades de emprego no metaverso

– Verdade

Com gigantes como Microsoft, Apple, Nike, Adidas, Disney, Renner, Gucci, Stella Artois e Itaú anunciando sua aproximação com tecnologia — e algumas das mais importantes instituições financeiras do mundo elevando suas projeções sobre o tamanho desse mercado —, novas profissões ligadas ao metaverso já começam a surgir. E engana-se quem pensa que isso só representa uma oportunidade para os profissionais de tecnologia.

Conteúdo gratuito: clique aqui e descubra como usar o metaverso para ganhar mais em sua profissão!

Ainda que programadores e desenvolvedores sejam mesmo essenciais para orientar a construção e implementação do metaverso, profissionais de diferentes áreas de formação serão essenciais para a consolidação do ambiente como uma extensão da realidade. Assim, médicos, professores, arquitetos, comunicadores e tantos outros profissionais também deverão se beneficiar da chegada da tecnologia.

4. Óculos de realidade virtual são essenciais para entrar no metaverso

– Mito

É provável que, ao procurar pelo termo “metaverso” em um banco de imagens, você se depare com muitas fotos de pessoas utilizando óculos ou capacetes de realidade virtual para acessar a tecnologia. Mas a verdade é que, embora estejam mesmo muito associados a este novo universo, eles não são a única maneira de acessá-lo. A ideia é que computadores, celulares e outras plataformas também possam ser utilizadas para entrar no metaverso.

5. Qualquer pessoa pode entrar no metaverso

– Verdade

A falta de entendimento sobre o que é o metaverso pode dar a falsa impressão de que ele “não é para qualquer um”, mas (assim como aconteceu com a internet e os smartphones) a tendência é que a nova tecnologia se popularize e passe a fazer parte da realidade de todas as pessoas; independentemente de idade, poder aquisitivo e do interesse ou não por tecnologia. Não à toa, a consultoria de tecnologia Gartner estima que, até 2026, um quarto da população mundial já passará pelo menos 1 hora por dia no ambiente virtual.

Explorando o metaverso

De olho no crescente interesse do público pelo metaverso, a EXAME desenvolveu um treinamento virtual e totalmente gratuito sobre o assunto. Apresentado por Fenando Godoy, VP da EXAME Academy, o curso Explorando o Metaverso acontece entre os dias 15 e 23 de agosto e foi elaborado com o objetivo de ajudar profissionais a compreenderem este novo universo para que possam se posicionar estrategicamente dentro dele o quanto antes. "Vamos te guiar por esse novo mundo e te preparar para dominar as técnicas e ferramentas dessa nova tecnologia", diz a página oficial do evento.

Para ter acesso ao treinamento gratuitamente, os interessados devem realizar um cadastro clicando aqui ou no botão abaixo.

 

QUERO PARTICIPAR DO EXPLORANDO O METAVERSO GRATUITAMENTE