Tecnologia

Pesquisador expõe dados de 100 mi de usuários do Facebook

Ron Bowes tomou a iniciativa para mostrar que há problemas no modo como as pessoas compartilham suas informações

Internautas estariam se expondo de forma inadequada na rede social, segundo pesquisador (.)

Internautas estariam se expondo de forma inadequada na rede social, segundo pesquisador (.)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de julho de 2010 às 18h12.

São Paulo - Um pesquisador da área de segurança publicou na internet um arquivo com dados como nomes completos, endereços de perfis e números de identificação de mais de 100 milhões de usuários do Facebook. Ron Bowes, da Skull Security, coletou os dados de um diretório público da rede social, que possibilita a criação de listas de usuários que compartilharam algum tipo de informação do perfil com qualquer um na internet.

As informações são do blog Bits, do jornal The New York Times. Um arquivo com todos os dados organizados, com 2,8 GB, está sendo compartilhado via BitTorrent e traz ainda um código de programação que Bowes utilizou para escanear a lista do diretório do Facebook. O pesquisador disse que tomou a iniciativa para mostrar que há um "problema assustador de privacidade" no modo como as pessoas compartilham suas informações com o resto da internet pelo Facebook.

Em um comunicado oficial, os responsáveis pela rede social disseram que a exposição dos dados não representa um problema. "Pessoas que usam o Facebook têm o direito de compartilhar apenas o que elas querem, com quem elas querem, e quando elas quiserem. Nossa responsabilidade é respeitar suas vontades. Neste caso, informações que as pessoas concordaram em manter públicas foram coletadas por um pesquisador. Esse material já podia ser acessado por sites de busca como Google e Bing, além do próprio Facebook. Nenhum dado privado está disponível ou foi comprometido".

O site, que recentemente alcançou a marca de 500 milhões de usuários, já se viu envolvida em críticas com relação à privacidade dos dados publicados por usuários. O presidente-executivo da companhia acabou reconhecendo o problema e anunciou mudanças nas configurações do serviço que passaram a permitir selecionar de forma mais avançada os dados que podem ser compartilhados ou não.

Leia outras notícias sobre o Facebook

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetPrivacidadeRedes sociaisseguranca-digitalSites

Mais de Tecnologia

TikTok passa a testar vídeos de 60 minutos e acirra disputa com YouTube

Como tirar o online do WhatsApp no Android? Confira o tutorial no app

Como escanear documentos no seu smartphone sem instalar nada

Como descobrir uma fonte a partir da imagem pela internet

Mais na Exame