Tecnologia

Google remove aplicativo após polêmica com comunidade LGBT+

App para smartphones Android estimulava pessoas a buscar terapia de conversão

 (Reprodução/Getty Images)

(Reprodução/Getty Images)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 29 de março de 2019 às 07h31.

Última atualização em 29 de março de 2019 às 07h32.

São Paulo – Após uma polêmica com a comunidade LGBT+, o Google removeu da sua loja virtual para smartphones com sistema Android um aplicativo que estimulava usuários a buscar terapia de conversão.

Chamado Living Hope Ministries (que também dá nome a uma comunidade cristã norte-americana), ele se descreve com um app que proclama uma visão cristã, bíblica e heterossexual da expressão sexual.

Uma petição online teve mais de 100 mil assinaturas, levando o Google a seguir os passos de Amazon, Apple e Microsoft e banir o aplicativo.

Ao site americano Business Insider, o Google informou que tomou a decisão de apagar o software da Google Play Store depois de consultar advogados e revisar seus termos de serviço para usuários de aplicativos.

A Human Rights Campaign, organização sem fins lucrativos que luta por direitos LGBT+ nos Estados Unidos, parabenizou o Google pela decisão, que considerou correta para proteger jovens.

 

Acompanhe tudo sobre:AppsDireitos HumanosGoogleLGBT

Mais de Tecnologia

Lei que regula pesquisa clínica com seres humanos é sancionada após nove anos de tramitação

Drones brasileiros: Psyche Aerospace recebe aporte de R$ 15 milhões para drone agrícola autônomo

CEO da OpenAI acompanha Bill Gates e promete doar a maior parte de sua fortuna

Samsung pode ter a primeira greve de sua história

Mais na Exame