Tecnologia

Google celebra anões de jardim (não, você não leu errado)

A gigante de buscas criou um doodle, com um jogo que permite aos internautas plantarem flores com as pequenas criaturas

Doodle: Google celebra os anões de jardim (Google/Reprodução)

Doodle: Google celebra os anões de jardim (Google/Reprodução)

Diogo Max

Diogo Max

Publicado em 10 de junho de 2018 às 12h48.

Última atualização em 10 de junho de 2018 às 14h30.

São Paulo – O Google comemora neste domingo os anões de jardim – sim, é isso mesmo o que você leu. Para isso, a gigante de buscas criou um doodle, com um jogo que permite aos internautas plantarem flores com as pequenas criaturas folclóricas.

Segundo o Google, a figura do gnomo apareceu pela primeira vez na Anatólia (uma região da atual Turquia), no século 13, e ressurgiu na Itália, no século 16. Mas o anão de jardim como o conhecemos hoje originou-se mesmo na Alemanha, durante o século 19.

“Os artesãos locais são responsáveis pela criação dos gnomos como os conhecemos, com barbas desgrenhadas e chapéus pontudos”, diz o Google. “Impulsionados por mitos locais e aumento do tempo de lazer, os gnomos começaram a encontrar casas em jardins em todo o país. Diz a lenda que eles protegem esses jardins, trazendo boa sorte”.

Não é à toa que a Alemanha comemora no dia 10 de junho o Garden Day, uma celebração para estas pequenas estátuas pelo seu grande papel na história do país.

Jogo

O jogo criado pelo Google funciona da seguinte maneira: o usuário deve usar uma catapulta para lançar os anões de jardim nos limites mais distantes. Quanto mais o gnomo viaja, mais flores são plantadas – e mais pontos são ganhos. Depois do básico, o internauta pode escolher entre seis gnomos coloridos com diferentes formas, pesos e saltos.

Acompanhe tudo sobre:AlemanhaDoodleGoogleJogos

Mais de Tecnologia

Alexa, da Amazon, pode subir preço em versão mais inteligente para competir com ChatGPT

CEO da Nvidia ganha US$ 7,6 bilhões em um só dia

Muito tempo no celular? Veja dicas para diminuir seu tempo de tela

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Mais na Exame