Fábio Faria vai à Apple pedir por atualização do iPhone exclusiva para o Brasil

Conexão '5G puro' chega a São Paulo na quinta-feira, 4, mas para funcionar no iPhone 13 será necessário um upgrade no iOS
 (Leandro Fonseca/Exame)
(Leandro Fonseca/Exame)
A
André Lopes

Publicado em 02/08/2022 às 06:11.

Última atualização em 08/08/2022 às 18:38.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, lidera nesta terça-feira, 2, uma comitiva do governo brasileiro, em missão aos Estados Unidos, para cobrar da Apple uma atualização no iOS dos aparelhos iPhones 13.

A intenção de Faria é que a empresa torne possível que os smartphones da marca funcionarem na rede “5G puro” — a versão standalone (SA), que oferece maior velocidade e menor tempo de resposta na conexão.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

“Os aparelhos iPhone precisam baixar uma atualização da própria Apple. Eu e o presidente [da Anatel, Carlos] Baigorri vamos, na terça-feira, na própria Apple, lá em Palo Alto [na Califórnia, EUA], pedir para que eles agilizem essa atualização e já possamos ter o 5G standalone (SA) funcionando”, afirmou.

Com a intercessão, a comitiva de Faria estipula que o iPhone estará apto para a conexão até o fim de setembro, quando todas as capitais do país já deverão estar cobertas com a versão mais avançada da nova tecnologia.

Contudo, ainda que atendido, o resultado do pedido deve ser pífio já que o iPhone representa menos de 10% dos 242 milhões de celulares do país. No caso do Android, que tem uma fatia acima de 90% do mercado, o Google deixa a ativação do 5G (SA) a critério de cada fabricante dos aparelhos.

5G vai permitir o avanço do metaverso: conheça a tecnologia que pode criar novas profissões e gerar novos empregos