Brasil e Argentina puxam crescimento de TI na América Latina em 2020

Em ano de pandemia, Brasil apresenta crescimento superior a 12% no setor, enquanto a Argentina vê o setor de TI crescer mais de 24% no ano
TI: América Latina apresenta crescimento de 5,5% no setor em 2020 (Jakub Krechowicz / SXC/Reprodução)
TI: América Latina apresenta crescimento de 5,5% no setor em 2020 (Jakub Krechowicz / SXC/Reprodução)
R
Rodrigo Loureiro

Publicado em 02/12/2020 às 11:16.

Última atualização em 02/12/2020 às 12:38.

É inegável que a pandemia tenha impulsionado os negócios digitais e, por isso, era esperado que o mercado de tecnologia da informação apresentação crescimento neste ano. Os dados mais recentes da consultoria IDC comprovaram o que já era aguardado e apontam para um crescimento de 12,2% no mercado de TI brasileiro.

Os números foram revelados durante o webinar “IDC FutureScape - Previsões para 2021 e implicações na região". A alta é apoiada principalmente por questões relacionadas ao período de quarentena forçado pelo novo coronavírus. O trabalho e o estudo à distância tornaram-se fortes impulsionadores da transformação digital das empresas.

O IDC apontou ainda que as vendas digitais de produtos físicos cresceram no último ano graças a migração para o ecossistema virtual. Este aspecto foi determinante para a chegada de 15 milhões de novos consumidores à internet, que fizeram suas primeiras compras online neste ano e contribuíram para um crescimento de 30% no comércio eletrônico latino-americano.

O percentual brasileiro é relevante. Na América Latina, a média de crescimento do setor de TI foi de 5,5% neste ano. O destaque continental ficou com a Argentina. O mercado de TI do país vizinho apresentou alta de 24,1% em 2020 e deve crescer mais de 10% no ano que vem.

A previsão para 2021 é menor para o Brasil. O crescimento brasileiro deve ficar em torno de 5% no ano que vem, abaixo da média de 7,7% da América Latina para o próximo ano. Não é um número tão assustador. O Brasil já é o maior mercado de tecnologia da informação do continente e, por isso, é mais difícil crescer em um ritmo mais alto, como o da Argentina.