Acompanhe:

Digitalização na pandemia: o que deve mostrar o balanço da Salesforce

Em 2020, a empresa acumulou alta nas receitas de 24%, impulsionada pelos serviços de nuvem e softwares de gestão corporativa. O resultado desta quinta-feira deve repetir os bons números

Modo escuro

Continua após a publicidade
Edifício da Salesforce, em Nova York (Noam Galai/Getty Images)

Edifício da Salesforce, em Nova York (Noam Galai/Getty Images)

A
André Lopes

Publicado em 27 de maio de 2021 às, 06h00.

Última atualização em 27 de maio de 2021 às, 08h54.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia. 

A Salesforce, líder global em software corporativo, apresenta hoje, 27, o resultado fiscal relativo aos primeiros 3 meses de 2021 e deve mostrar na receita dois aspectos dos seus negócios que surfaram com a pandemia: os serviços de computação em nuvem e a adoção massiva de seus aplicativos de gestão empresarial. 

No último trimestre de 2020, suas receitas totais chegaram a 5,82 bilhões de dólares, representando um aumento de 20% em comparação com o trimestre correspondente do ano anterior. No acumulado, o aumento foi de 24% — US$ 21,25 bilhões.

Trata-se de um momento próspero para a empresa que mira, ainda para esta década, chegar em um faturamento de 40 bilhões de dólares. No entanto, é preciso brigar de frente com as também ofertantes de computação em nuvem Oracle, Microsoft e a alemã SAP, concorrentes com quais disputa desde a fundação da companhia, em 1999.

Recentemente, a Salesforce se valeu de aquisições para diversificar os negócios — algumas bem vistas, como a MuleSoft, que foi lassada por 6,5 bilhões de dólares, e o sistema de visualização de dados Tableau, por 15,3 bilhões de dólares.

E outras que ainda devem mostrar a que vieram, como a compra do mensageiro Slack, a maior aquisição que já fez e pela qual desembolsou 27,7 bilhões de dólares.

Esta última compra foi uma forma de avançar ainda mais dentro dos softwares corporativos que na pandemia e com o home office se mostraram essenciais.

Salesforce e a transformação digital: entrevista com Fabio Costa | CEO Talks

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.

Últimas Notícias

Ver mais
Microsoft anuncia mais um avanço na computação quântica e aproxima tecnologia do 'mundo real'
Tecnologia

Microsoft anuncia mais um avanço na computação quântica e aproxima tecnologia do 'mundo real'

Há 3 horas

Cenário pertubador e forças incertas, a mensagem do CEO do JPMorgan após resultado do banco
seloMercados

Cenário pertubador e forças incertas, a mensagem do CEO do JPMorgan após resultado do banco

Há um dia

Citigroup tem lucro líquido de US$ 3,4 bilhões no 1º trimestre
seloMercados

Citigroup tem lucro líquido de US$ 3,4 bilhões no 1º trimestre

Há um dia

JPMorgan amplia em 6% lucro no 1º tri, a US$ 13,42 bilhões, mas tem despesa extraordinária
seloMercados

JPMorgan amplia em 6% lucro no 1º tri, a US$ 13,42 bilhões, mas tem despesa extraordinária

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais