Apple Watch virou uma contradição de pulso

Mesmo com grande aumento nas vendas, de acordo com a Apple, relógio perde suporte de apps do Google, Amazon, entre outros

São Paulo – O Watch, relógio conectado da Apple, vive o céu e o inferno ao mesmo tempo. As vendas do dispositivo de tecnologia vestível dobraram no último trimestre, de acordo com o CEO da Apple Tim Cook. Ao mesmo tempo, aplicativos de empresas relevantes, como Google e Amazon, perderam suporte para o relógio inteligente.

O problema foi notado pelo site especializado Apple Insider. Aplicativos como o Google Maps, eBay ou o app da Amazon estão sem suporte para o Apple Watch neste momento. A lista se estende e passa por outros nomes como TripAdvisor (app para planejar férias e viagens) e Target (grande varejista dos EUA).

Procurada pelo site The Verge, a Amazon foi bastante direta em sua explicação sobre o fim do suporte para seu app no relógio. “Existe um número de razões pelas quais não achamos que esta seja a solução correta para nossos consumidores neste momento”, disse por meio de um porta voz.

O Google, por sua vez, afirmou que pretende reintroduzir a versão para Apple Watch no futuro. O TripAdvisor também disse que trabalha em uma nova solução para dispositivos vestíveis. O desafio para essas empresas é entender o que é relevante para a tela de um relógio, em vez de um smartphone.

Seja como resposta ou apenas uma coincidência, na apresentação dos resultados financeiros do último trimestre que acontece ontem, o CEO da Apple Tim Cook falou sobre o Apple Watch. O executivo afirma que as vendas dobraram no último ano.

Por que isso é importante? Mesmo sem dar qualquer informação aprofundada, Cook deu atenção especial ao Apple Watch. Em seu relatório financeiro, a Apple, ao contrário de como lida com o iPhone, não fornece dados como número de unidades vendidas. Informações sobre crescimento ou retração das vendas também não são divulgadas pela companhia.

Nos relatórios da Apple, o Watch fica dentro do que a empresa chama de “outros dispositivos”, junto com Apple TV e fones da Beat, entre outros gadgets. Essa divisão teve receita de 5,1 bilhões de dólares no último trimestre. É o suficiente, diz Tim Cook, para que essa divisão figurasse bem entre as empresas da Fortune 500.

A Apple certamente vê o produto em um cenário complicado hoje. Apesar de ser líder de seu segmento (que nunca foi lá um sucesso desde o surgimento), o Apple Watch pode vender como nunca, mas também parece perder status entre desenvolvedores e empresas de tecnologia.

E sem suporte para bons apps, não sobra muito do Apple Watch.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.