Em retomada, ArcelorMittal investe no consumidor final

Depois de parar de produzir durante a pandemia, a ArcelorMittal Brasil retorna gradualmente à normalidade e aposta nas vendas no varejo
Meta é chegar a 100 pontos de venda até o fim do ano que vem (Alexandre Rezende/Nitro)
Meta é chegar a 100 pontos de venda até o fim do ano que vem (Alexandre Rezende/Nitro)
E
Ernesto YoshidaPublicado em 19/11/2020 às 05:06.

As siderúrgicas fornecem aço para várias indústrias, como a de automóveis, a construção civil, a de máquinas e equipamentos e a de eletroeletrônicos. Quando a pandemia de covid-19 chegou ao Brasil, a ArcelorMittal teve de pisar no freio. “Todos pararam repentinamente, e começamos a não mais receber pedidos”, diz Benjamin Baptista Filho, presidente da ArcelorMittal Brasil. Aos poucos, porém, o mercado siderúrgico iniciou a recuperação.

As empresas do futuro estão aqui. Conheça os melhores investimentos em ESG na EXAME Research

“Desde maio, nossa área de aços longos, impulsionada pela construção civil e pela área de infraestrutura do governo federal, está operando praticamente em plena capacidade”, diz Baptista Filho. A unidade de Tubarão, no Espírito Santo, especializada em aços planos, já opera com todos os seus três altos-fornos, embora sem usar toda a sua capacidade.

Uma aposta recente da ArcelorMittal é investir no varejo — foi a primeira siderúrgica no país a abrir uma rede de lojas e a lançar uma loja virtual de venda direta de mais de 500 produtos e soluções em aço ao consumidor final, como pedreiros, serralheiros e arquitetos.

A empresa já inaugurou 11 lojas-conceito e outras 23 em parceria com empreendedores — a meta é chegar a 100 pontos de venda até o final de 2021.  

(Arte/Exame)


(Publicidade/Exame)