Política

Lula recebe alta antes do previsto e deixa hospital após cirurgia no quadril

A previsão é que Lula passe pelo menos três semanas despachando do Palácio da Alvorada

Lula: presidente teve alta médica antes do período previsto, anteriormente entre segunda e terça-feira (Ricardo Stuckert / PR/Flickr)

Lula: presidente teve alta médica antes do período previsto, anteriormente entre segunda e terça-feira (Ricardo Stuckert / PR/Flickr)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 1 de outubro de 2023 às 16h26.

Última atualização em 1 de outubro de 2023 às 16h26.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou o hospital Sírio Libanês, na tarde deste domingo (1º), em Brasília. Na última sexta, ela foi submetido a uma cirurgia para colocar uma prótese no quadril. Ele teve alta médica antes do período previsto, anteriormente entre segunda e terça-feira. O presidente deixou o hospital pelos fundos e não falou com a imprensa.

Mais cedo, boletim médico divulgado pelo Sírio informou que Lula caminhou, subiu e desceu escadas, com assistência fisioterapêutica, e a previsão de alta havia sido antecipada para este domingo.

Lula ficou internado em apartamento do hospital, sob o cuidado das equipes dos médicos Roberto Kalil Filho, Ana Helena Germoglio e Giancarlo Cavalli Polessello. Após o boletim médico, a primeira-dama Janja da Silva publicou em uma rede social: "Tem alguém que vai jantar em casa hoje."

Entenda a cirurgia

Chamada de artroplastia do quadril, a operação ortopédica durou pouco mais de uma hora, das 12h às 13h13m de sexta-feira. O presidente passou por uma artroplastia total de quadril e colocou uma prótese híbrida, que tem parte fixada com cimento ósseo e outra encaixada diretamente no osso. Sete médicos acompanharam a cirurgia. Na noite de sexta o petista já havia firmado os pés no chão.

Lula também passou por um procedimento para a correção da pálpebra. A intervenção para a remoção do excesso de pele ocorreu das 15h às 16h16m e foi realizada pela médica Eliana Forno. Esse procedimento não exige cuidados pós-operatórios complexos, segundo os médicos.

A previsão é que Lula passe pelo menos três semanas despachando do Palácio da Alvorada. O Palácio do Planalto prevê um período de quatro a seis semanas sem viagens do presidente.

O presidente foi submetido a cirurgia pois sofria com intensas dores na cabeça do fêmur, provocadas por uma artrose. Lula reclamava de dor desde agosto do ano passado pois sofreu um desgaste natural da idade na cartilagem que fica entre o fêmur e a bacia. Cerca de 20% das pessoas com mais de 65 anos têm o problema. Em julho deste ano, Lula falou publicamente de suas dores durante uma live e afirmou que que tem ficado "irritado", "nervoso" e de "mau humor".

Gleisi também se recupera

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, também passou por um procedimento cirúrgico, mas de grande porte. Ela se recupera bem, de uma cirurgia de revascularização do miocárdio. De acordo com boletim médico divulgado pelo Hospital DF Star neste domingo, em Brasília, Gleisi está respirando espontaneamente, conversando e se alimentando.

Durante o procedimento, foi realizado dois enxertos de artéria mamária para restaurar a circulação sanguínea ao coração. De grande porte, a cirurgia teve a duração de seis horas. A operação foi a ‘céu aberto’, quando o peito é cortado.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da Silva

Mais de Política

Mais na Exame