Acompanhe:

Site de compra e venda de carros seminovos e usados recebe R$ 2 mi

A plataforma Carflix anunciou um aporte para impulsionar ideia de vender automóvel por 20 a 30% mais do que pagaria uma concessionária

Modo escuro

Continua após a publicidade
Jeep Compass vendido pela plataforma Carflix: startup paulistana projeta um crescimento de 250% no final deste ano sobre o mesmo período de 2018 (Carflix/Divulgação)

Jeep Compass vendido pela plataforma Carflix: startup paulistana projeta um crescimento de 250% no final deste ano sobre o mesmo período de 2018 (Carflix/Divulgação)

M
Mariana Fonseca

Publicado em 18 de abril de 2019 às, 06h00.

Última atualização em 9 de agosto de 2019 às, 10h10.

As startups que atuam no setor automotivo, também chamada de autotechs, estão crescendo e começando a disputar espaço -- pelo menos quando se fala nos marketplaces para carros seminovos e usados, conectando motoristas a concessionárias ou a compradores pessoas físicas. Apenas no primeiro trimestre deste ano, três milhões de veículos do tipo foram comercializados no país. Várias empresas colocam o pé no acelerador para aproveitar a oportunidade.

Uma delas é a Carflix. A plataforma que medeia seminovos e usados entre pessoas físicas acabou de ganhar dois milhões de reais em investimento para expandir sua participação de mercado. A startup paulistana projeta um crescimento de 250% no final deste ano sobre o mesmo período de 2018, associado à entrada em mais duas cidades e investimentos em inteligência artificial.

Como funciona?

Antes de criar a Carflix, os empreendedores Alan Ladeia e Fabio Pinto trabalharam respectivamente com vendas e operações em uma rede de concessionárias. “Nós víamos o problema que era vender um carro usado, com uma assimetria de informações entre concessionária e dono do veículo e entre o dono do veículo e o comprador final”, afirma Pinto.

Fabio Pinto, CEO da Carflix

Fabio Pinto, CEO da Carflix (Carflix/Divulgação)

O ano de fabricação, quilômetros rodados e estado geral do automóvel podem influenciar no preço de venda, sem que muitos donos entendam como ele foi definido -- os proprietários perdem de 20 a 30% do valor do automóvel na transação com a concessionária, diz o empreendedor. No caso de anúncios online, os compradores não sabem se o veículo passou anteriormente por consertos e os dois lados da equação temem encontros inseguros e fraudes, sejam nos documentos ou nos pagamentos.

A Carflix começou a operar no começo do ano passado. O dono do veículo entra no site, cadastra o automóvel e reserva um dia de inspeção, que pode ser a domicílio ou em algum dos três centros de inspeção da startup na Grande São Paulo. O carro passa por uma checagem documental, que vai do financeiro à ocorrência de sinistros, e uma checagem física, com mais de 150 itens avaliados. É preciso ter até oito anos de fabricação e até 150 mil quilômetros rodados.

Se o veículo for aprovado, a Carflix tira fotos e sobe anúncios em portais de compra e venda de carros seminovos e usados. A startup filtra compradores, cede financiamentos em parcerias com bancos, faz uma segunda checagem na hora da venda e cuida da passagem de titularidade e do fluxo de pagamentos. A Carflix dá um ano de garantia ao automóvel após a finalização da compra.

Segundo Pinto, o principal diferencial da startup do setor automotivo está em sua estrutura enxuta de pontos de venda e no atendimento domiciliar. “Podemos expandir sem grandes estruturas e por isso cobramos uma taxa menor do que a concorrência”, afirma.

A Carflix cobra 5,9% do dono do automóvel caso a venda seja bem-sucedida. O principal concorrente é o site Volanty, que também atua apenas com pessoas físicas e recentemente expandiu para São Paulo. Com 110 automóveis comercializados no segundo semestre do ano passado, a startup projeta chegar aos 400 carros comercializados no mesmo período deste ano.

Investimento e expansão

Focado em investimento corporativo em startups no estágio pré Série A, o BR Startups já captou 32 milhões de reais de empresas como Age-Rio, Banco Votorantim, Bayer, BB Seguros, Microsoft e Qualcomm. Investiu em 14 startups, incluindo outra autotech -- a plataforma de conexão entre motoristas e mecânicos Car10. O ticket médio de investimento semente é de 500 mil reais a 3 milhões de reais por startup.

Com os novos dois milhões de reais, a Carflix pretende dotar sua plataforma de inteligência artificial. A tecnologia ajudará na precificação dos veículos e na análise de compradores. A expansão para mais duas metrópoles também está nos planos. Estão na lista Curitiba e Belo Horizonte ou Brasília.

A Carflix possui 12 funcionários e espera chegar a 26 até o final deste ano, com um crescimento de 250% na comparação de dezembro de 2019 sobre o mesmo mês de 2018. Espaço para expandir não falta.

Últimas Notícias

Ver mais
Como uma empresa faz R$ 160 milhões levando pessoas ao trabalho — sem ter sequer um veículo
seloNegócios

Como uma empresa faz R$ 160 milhões levando pessoas ao trabalho — sem ter sequer um veículo

Há 2 dias

“Estou muito interessado em oportunidades no Brasil”, diz Victor Lazarte, fundador da Wildlife
seloNegócios

“Estou muito interessado em oportunidades no Brasil”, diz Victor Lazarte, fundador da Wildlife

Há 3 dias

"Eu estou mais otimista do que há um ano", afirma Alex Szapiro, líder do SoftBank na América Latina
seloNegócios

"Eu estou mais otimista do que há um ano", afirma Alex Szapiro, líder do SoftBank na América Latina

Há 3 dias

Startup desenvolve solução feita com resíduos para captar CO2 da mineração
ESG

Startup desenvolve solução feita com resíduos para captar CO2 da mineração

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais