Em meio ao coronavírus, startup cresce com lojas autônomas em condomínios

A Onii nasceu dentro do centro de inovação ONOVOLAB, em São Carlos, no interior de São Paulo; empresa trouxe modelo similar ao da Amazon Go para o Brasil

Distanciamento social é uma prioridade em tempos de coronavírus. Em meio à crise gerada pela pandemia, uma startup brasileira recém criada viu sua demanda aumentar. A Onii trouxe para o país um modelo de loja autônoma que funciona dentro de condomínios residenciais. Com o aplicativo instalado no celular, é possível entrar no espaço e comprar os produtos desejados — tudo isso sem precisar interagir com ninguém. 

O modelo é inspirado nas lojas de conveniência Amazon Go, criadas pela gigante varejista norte-americana. A diferença é que por aqui o cliente tem que escanear os itens um a um no celular para que a compra seja creditada no cartão cadastrado. 

A primeira loja foi inaugurada em dezembro de 2019, dentro de um condomínio residencial com 240 casas em São Carlos, no interior do estado de São Paulo. Na primeira semana de uso, 200 moradores já haviam feito download do aplicativo. O faturamento do primeiro mês foi de 15.000 reais. 

No começo de março, a empresa fechou 80 contratos para a instalação de lojas similares por todo o estado. Entre os clientes, estão o grupo MRV, a construtora Bild, a rede de condomínios Alphaville e o aeroporto de Congonhas, na capital paulista.

Há duas semanas, quando a população entrou em isolamento, a procura por lojas cresceu. “Estamos instalando em regime emergencial novas unidades”, diz Ricardo Podval, fundador da empresa. Novas lojas estão sendo abertas em São João da Boa Vista, Piracicaba, Limeira, Araraquara, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Barueri, Curitiba, Londrina e Uberlândia. 

Nesse momento, por causa do coronavírus, Podval conta que a empresa está abrindo espaço para que produtores locais possam colocar seus produtos dentro da loja. Os moradores também podem usar o espaço para receber encomendas e delivery quando não estiverem em casa. Além disso, a Onii está reduzindo o preço de produtos de primeira necessidade e abastecendo as lojas com novas categorias de itens para ajudar os moradores.

História da empresa

A Onii foi criada em 2019 no centro de inovação ONOVOLAB em São Carlos pelos empreendedores Ricardo Podval, Victor Azouri, Tom Ricetti e Conrado Rantin. A ideia do negócio veio a partir do empreendimento anterior de Ricetti, a Pão to Go, uma rede de padarias que funciona em modelo drive thru. 

O empreendedor estava empenhado em criar uma padaria autônoma para condomínios residenciais quando se uniu aos amigos. Em conjunto, decidiram tentar adaptar o modelo de lojas de conveniência da Amazon para o Brasil. Durante quatro meses, dentro do centro de inovação, os sócios testaram a tecnologia necessária para colocar o modelo de pé. Com a primeira unidade instalada em dezembro, viram que o negócio funcionava e decidiram expandir.

O projeto da Onii prevê que a instalação das unidades seja custeada pela empresa, mas a operação precisa ser terceirizada para um morador do condomínio, que fica com 90% do valor de faturamento da loja. “O plano é que elas sejam geridas por moradores com mais de 60 anos, para gerar trabalho e renda para essa para essa população”, diz Podval.

Até o final do ano, a meta é ter 200 lojas instaladas no país. “A gente acredita que o modelo veio para ficar, traz comodidade ao morador, que consegue consumir sem sair do condomínio”, afirma o sócio-fundador.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.