Depois de aporte milionário, startup Gabriel compra sua primeira empresa

A Gabriel, startup de segurança, anunciou a aquisição da Retina Vision, criada por estudantes da USP e que identifica veículos roubados em tempo real
 (Gabriel/Divulgação)
(Gabriel/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 09/03/2022 às 12:07.

Última atualização em 09/03/2022 às 12:11.

Para a startup Gabriel, que desenvolve tecnologias e sistemas de segurança por câmeras de monitoramento, a temporada de aquisições está oficialmente aberta. Nesta quarta-feira, 9, a empresa anunciou a compra da Retina Vision, startup que atua na prevenção de crimes e que foi criada por três estudantes da USP. O valor da transação não foi divulgado.

Crédito para startups boostLAB: conheça a linha MRR com financiamentos a partir de R$ 200 mil até R$ 4 milhões. Preencha o formulário e solicite seu empréstimo

Essa é a primeira compra feita pela Gabriel desde o aporte de R$ 66 milhões do SoftBank, em outubro do ano passado. O aporte também envolveu fundos como Canary, Norte Ventures, Globo Ventures e Endeavor ScaleUp Ventures.

A proposta da Gabriel é ajudar grandes cidades a serem mais seguras. Até o momento, os sistemas da startup e as mais de 2,2 mil câmeras de segurança estão instalados nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, em uma quantidade limitada de bairros. É uma rede construída ao longo de dois anos de operação — a empresa foi fundada em 2020 por Erick Coser, Otávio Miranda e Sérgio Andrade.

Com a Retina Vision, a Gabriel ganha uma nova vertical: a de prevenção a crimes. Criada por três estudantes e pesquisadores da USP em 2018, a Retina criou um sistema baseado em inteligência artificial capaz de fazer leituras de placas de carros e então identificar veículos roubados ou furtados a partir do cruzamento de informações com bancos de dados públicos. Se alguma irregularidade é percebida, o sistema da Retina pode acionar a polícia local em tempo real. Até agora, a empresa de Coser, Miranda e Andrade só conseguia apoiar investigações policiais fornecendo as imagens captadas pelos seus equipamentos.

O novo recurso será incluído gratuitamente nas redes de segurança da Gabriel para os clientes já ativos.

A aquisição levou os criadores da Retina e outras tês pessoas a serem incorporadas ao time da Gabriel, especialmente na liderança dos esforços em visão computacional. Junto das aquisições, segundo a empresa, a pretensão agora é expandir a infraestrutura para outros bairros nas duas capitais. A lógica é de que, mesmo com sem descartar a chegada a outras cidades, a Gabriel ganhe mais capilaridade nas praças onde já atua. De acordo com a empresa, novas aquisições também estão no radar.