Com R$ 800, ela criou hamburgueria de R$ 50 mi que briga com McDonald’s

Camila Guerra é fundadora da American Burger, que comercializa lanches, pizzas e comida japonesa e que deve chegar a 100 unidades no próximo ano
Camila Guerra, fundadora da American Burger: rede fatura R$ 50 mi com delivery de lanches, pizzas e comida japonesa (American Bruger/Divulgação)
Camila Guerra, fundadora da American Burger: rede fatura R$ 50 mi com delivery de lanches, pizzas e comida japonesa (American Bruger/Divulgação)
Por Maria Clara DiasPublicado em 14/04/2022 13:37 | Última atualização em 20/04/2022 12:19Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O sonho de Camila Guerra sempre foi empreender. Uma tarefa árdua e que exigiu sete exaustivas tentativas até a criação do seu primeiro negócio bem-sucedido: a American Burger, rede de hamburguerias fundada há sete anos e que em 2022 deve chegar a 60 unidades espalhadas pelo país e um faturamento médio de R$ 50 milhões.

Nascida em Contagem, terceira maior cidade de Minas Gerais, e estudante de engenharia mecânica, Camila teve que interromper os estudos após engravidar de sua primeira filha, aos 24 anos. Para ajudar no complemento de renda, ela passou a fazer hambúrgueres dentro da cozinha de casa e entregá-los via delivery.

Com muito esforço, equilibrava a rotina em frente às chapas e o compromisso com a maternidade. Aos poucos, o negócio foi ganhando relevância, um resultado do investimento em um modelo de negócio ainda inexistente na região e de uma receita de molho proprietária. “Das várias hamburguerias na minha cidade, apenas uma fazia delivery. Quis aproveitar essa oportunidade, mas me meti numa briga com redes como Burger King e McDonald’s”, conta.

Com R$800 no bolso, Camila criou oficialmente a American Burger. No começo do empreendimento, ela mesmo entregava os panfletos, atendia ligações, preparava os pedidos e fazia as entregas, ao lado de sua bebê de um ano. O período dentro da cozinha de casa foi curto. Logo, ela precisou escalar a operação. Foi quando criou seu ponto comercial, ainda dedicado apenas à produção de lanches e ponto de retirada para motoboys.

A rede ganhou unidades em Belo Horizonte e Juiz de Fora, também em Minas Gerais. Depois disso, chegou ao Espírito Santo. Em cinco anos, ela abriu 34 estabelecimentos próprios em seis estados brasileiros, um salto que, em boa medida, aconteceu graças ao surgimento dos aplicativos de delivery, que aceleraram as entregas.

A empreendedora conta que, mesmo longe de sua área de formação, a paixão pelo automobilismo ainda a acompanhou na fundação da empresa. Hoje, o cardápio da rede tem lanches batizados com nomes de modelos tipicamente americanos, como Dodge RAM, Camaro e Mustang.

À frente de um time de 300 funcionários, a nova ambição de Camila é chegar a 100 lojas já no próximo ano. “Estamos em um ótimo momento, e o crescimento agressivo é resultado de um esforço e aprendizados de muitas fases nos últimos anos”.

A capacidade de ficar atenta às tendências do mercado também levou Camila a esticar as fontes de receita e diversificar o negócio. Hoje, o cardápio da American Burger vai além do "burger" e também vende pizzas e comidas japonesas.

“Quando eu vi que zerei o jogo, era hora de diversificar”. Hoje a rede vende mais de 1 milhão de peças de sushi (comida típica da culinária japonesa) mensalmente.

De olho em expandir ainda mais o negócio, a nova empreitada de Camila é em busca de investidores para a ajudar a levar a empresa para o exterior.