• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Após machismo durante recrutamento, ela criou uma empresa de R$ 1,9 mi

Martha Carbonell, fundadora da Law360, começou a empreender após descobrir que colega homem ganharia salário 20% maior que ela para a mesma função. Empresa deve chegar a R$ 4 milhões em 2022
Martha Carbonell, fundadora da Law360: consultoria de direito e tecnologia cresceu 60% na pandemia (Divulgação/Law360)
Martha Carbonell, fundadora da Law360: consultoria de direito e tecnologia cresceu 60% na pandemia (Divulgação/Law360)
Por Luciana LimaPublicado em 30/04/2022 06:00 | Última atualização em 29/04/2022 18:19Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Todos os anos, centenas de mulheres abandonam o mercado de trabalho por conta do machismo — e muitas acabam empreendendo por falta de oportunidades no mundo corporativo. Esse foi o caso da advogada e matemática Martha Carbonell, fundadora da Law360, consultoria que une direito com tecnologia, e faturou R$ 1,9 milhão em 2021. 

Assim que terminou a faculdade, no final dos anos 80, Martha foi selecionada para trabalhar como gerente em um grande banco. No dia da admissão, porém, recebeu, por engano, um envelope com a carta oferta de outro candidato que estava sendo contratado para a mesma vaga com salário 20% maior. 

“Era exatamente o mesmo cargo, mas ele era homem. Questionei por que a diferença de remuneração e a pessoa responsável pela admissão disse que não era da sua alçada essa questão. Foi um balde de água fria para mim. Percebi que, se quisesse continuar no mercado, enfrentaria aquelas situações muito mais vezes. Então, decidi empreender”, diz. 

Durante 26 anos, Martha atuou desenvolvendo e implantando sistemas operacionais para empresas e teve entre os seus clientes nomes como a Fundação Álvares Penteado (FAAP) e o Grupo Etapa.

Em 2005, após perder o marido e enfrentar um câncer, com 30 funcionários, a empreendedora resolveu se reinventar e iniciar uma graduação em direito. “Ia para as aulas enquanto fazia quimioterapia, queria seguir a minha vida, mas ao mesmo tempo tive que desacelerar”. 

Em 2013, percebendo uma maior demanda por orientações jurídicas envolvendo direito digital, Martha resolveu unir as suas duas especialidades e fundar a Law360 junto com a também advogada Carolina Ramos.

“Desde então, a demanda pelos nossos serviços só cresce. Primeiro, por conta do Marco Civil da Internet e, mais recentemente, por conta da LGPD, todas as empresas que armazenam dados precisam de consultoria”. 

Somente durante a pandemia, a Law360 cresceu 60% e hoje atende cerca de 70 clientes. Para esse ano, a meta é atingir R$ 4 milhões em faturamento. Um dos motivos, segundo Martha, foi o aumento de ataques hackers durante a pandemia. “Muitas empresas nos procuraram olhando para a prevenção. Fora isso, com o home office, também aumentou a demanda por sistemas de cibersegurança pensando em vazamento de dados", diz. 

"Todos esses ‘problemas’ que as empresas enfrentaram acabam sendo bons para nós porque aquecem o mercado”, finaliza.