4 dicas de especialistas em gestão para preparar seu negócio para 2021

EXAME conversou com quatro especialistas em gestão e inovação para discutir as mudanças dos negócios em 2020 e saber o que esperar do próximo ano

Depois de um ano inegavelmente desafiador com 2020, é normal esperar ansiosamente pelo próximo ciclo. Ainda que 2021 traga esperanças, principalmente com a possível chegada da vacina de covid-19 no Brasil, os empreendedores brasileiros se preparam para perrengues pelos próximos 12 meses. 

Na origem do mau humor com o futuro estão as consequências do tombo sofrido neste ano. De acordo com dados de uma pesquisa mensal do Sebrae, em setembro as pequenas empresas brasileiras faturaram 36% menos do que no mesmo período de 2019 e 13% disseram ainda sofrer com as normas de segurança que impedem o atendimento em 100% da capacidade dentro de seus estabelecimentos. Trata-se de um problema que só deve piorar daqui para a frente com a perspectiva de uma segunda onda de contágio de coronavírus no país.

Sem perspectiva clara do fim da pandemia, e com o temor da volta de uma quarentena mais restrita até uma vacinação em massa funcionar, muitos negócios devem penar para crescer de forma consistente em 2021. “Alguns economistas falam em ‘economia dos 90%’ porque existem setores que vão estar sempre abaixo do patamar pré-crise até a pandemia ser controlada”, diz Rafael Moreira, analista do Sebrae.

Em meio a tantas incertezas, que estratégia os empreendedores devem tomar para encarar 2021? Com base nos desafios enfrentados ao longo de 2020, a EXAME falou com especialistas e organizou dicas de gestão para inspirar os empreendedores para o ano que virá. Confira abaixo:

1 - Mantenha dinheiro em caixa

A pandemia reforçou a necessidade de planejamento financeiro para os pequenos negócios. Quando a quarentena começou de maneira abrupta em março, muitos empreendedores se desesperaram. A maioria não tinha caixa para sobreviver sem faturamento por tantos meses. Uma pesquisa­ nacional realizada pelo Sebrae, de 3 a 7 de abril, mostrou que, em média, os pequenos negócios conseguiriam pagar as contas com a empresa fechada por até 23 dias. Quem não estava capitalizado precisou buscar crédito e se reinventar para atender o cliente em casa. Segundo Claudia Bittencourt, sócia-fundadora da consultoria em gestão Grupo Bittencourt, para começar 2021 bem, as empresas precisam deixar o caixa em ordem e se preparar para a recuperação da economia. “É um ano de consolidar as mudanças que foram feitas nos negócios”, diz a especialista.

2 - Foco no cliente

Os negócios que sobreviveram durante 2020 precisaram se adaptar. Para Marcelo Cherto, fundador da Cherto Consultoria, o jeito mais fácil de fazer isso durante uma crise é ficar de olho no cliente e oferecer um produto ou serviço pelo qual ele esteja disposto a pagar. Mas para que isso seja possível, é preciso saber quem é o cliente. Seja com um sistema sofisticado de CRM ou com uma planilha no computador, o consultor recomenda anotar dados importante sobre cada pessoa que compra algo. É uma floricultura? Saiba as datas de aniversário e aniversário de casamento, para que possa enviar promoções e sugestões de presente ao longo do ano. “O varejista não pode mais esperar o cliente entrar na loja como uma aranha que fica na teia, precisa ir atrás dele”, diz Cherto.

 

3 - Cuide dos funcionários

Com dinheiro em caixa e os clientes satisfeitos, é hora de pensar no bem-estar dos funcionários. As empresas que vão apostar no trabalho remoto em 2021 precisam garantir que os empregados tenham a estrutura necessária para trabalhar em casa. E isso não significa distribuir somente cadeiras e notebooks, mas também conhecimento. Com a digitalização rápida dos negócios, muitos funcionários talvez precisem de um empurrãozinho para aprender a usar as plataformas de venda pela internet ou chats online. “O novo contexto em que vivemos exigiu novas soluções, então é preciso não só aperfeiçoar as ferramentas, mas treinar os times”, diz Adir Ribeiro, fundador da consultoria Praxis Business.

4 - Inove sempre

Os empreendedores não podem se acomodar. A chave para preparar um negócio para qualquer cenário é estar em uma constante busca pela inovação. Enquanto as grandes companhias podem se dar ao luxo de ter uma área de inovação, os pequenos negócios precisam respirar inovação sempre, de acordo com Pedro Waengertner, presidente da empresa de tecnologia ACE. “A inovação precisa estar presente no DNA das pequenas empresas, para que elas não sejam só uma alternativa mais barata para o cliente, mas sim uma alternativa mais eficiente na solução do seu problema”, diz o executivo. Mas para isso é preciso investir muito? Segundo o especialista, não. “Quando temos menos dinheiro, somos forçados a pensar em alternativas, a entender a essência dos problemas e a expandir a maneira com que a gente pensa”, afirma Waengertner.

Para saber mais, confira a reportagem da última edição da EXAME sobre as sete lições de gestão das pequenas e médias empresas, que encararam um 2020 difícil, para os desafios de 2021

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.