Negócios

Temu: quem é a rival da Amazon nos EUA que acaba de ser autorizada a atuar no Brasil

Receita Federal autorizou que empresa chinesa opere no Brasil com a Remessa Conforme

Temu: proprietária do app chinês já vale 210,3 bilhões de dólares (Justin Sullivan/Getty Images)

Temu: proprietária do app chinês já vale 210,3 bilhões de dólares (Justin Sullivan/Getty Images)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 28 de maio de 2024 às 15h25.

Uma rival da Amazon nos Estados Unidos e da Shein e da Shopee na Ásia está prestes a aterrissar no Brasil. 

É a Temu, um aplicativo de compras chinês que vende de tudo. Por ali, é possível comprar móveis, eletrônicos, roupas e até utensílios domésticos de pequeno valor. A estratégia da empresa para atrair clientes é apostar no preço baixo para incentivar o consumo. Não à toa, o slogan é “compre como um bilionário”. 

O aplicativo está ganhando escala rapidamente na China e também fora dela. Nos Estados Unidos, já é a segunda principal varejista online, atrás apenas da Amazon. Na terra do Tio Sam, já ultrapassou concorrentes de peso como Shein. 

Por trás da Temu está a Pinduoduo, um grupo chinês que ultrapassou recentemente a Alibaba, principal varejista da China, em tamanho de mercado. Enquanto a dona da AliExpress está avaliada em 196,55 bilhões de dólares na Nasdaq, a proprietária da Temu já vale 210,3 bilhões de dólares na mesma bolsa. 

Varejistas, tremei! Após desbancar a Shein nos EUA, a Temu está chegando ao Brasil

Qual é a história da Pinduoduo 

Uma das plataformas de comércio eletrônico mais populares da China, a Pinduoduo conta com aproximadamente 900 milhões de usuários. Ficou famosa por adotar um modelo de compras em grupo, parecido com o que foi no Brasil o Groupon e o Peixe Urbano. 

Por ali, amigos chamavam outros para comprar o mesmo produto em grande quantidade — e assim, economizar.  

O sucesso da plataforma permitiu que a empresa apostasse num outro modelo, mais semelhante a um marketplace, em que os fornecedores sediados na China pudessem vender e enviar diretamente o produto ao cliente final, sem ter de recorrer a armazéns no país de destino.

Qual é o diferencial da Temu

O diferencial, porém, vem numa funcionalidade chamada de Next-Gen Manufacturing. 

“Ao contrário do modelo tradicional, onde as marcas produziam bens e depois os comercializavam aos consumidores, o modelo Next-Gen Manufacturing permite que os parceiros de mercadorias ajustem o desenvolvimento de seus produtos e processos de fabricação de acordo com os insights de mercado canalizados através do Temu”. 

“Esta abordagem resulta em custos mais baixos tanto para os consumidores como para os parceiros de mercadorias devido às economias de escala resultantes de uma melhor adequação dos produtos, aumento das receitas e menos desperdício de produção incompatível”, afirmam também.

Qual é o tamanho da Temu

A plataforma da Temu entrou em funcionamento pela primeira vez nos Estados Unidos em setembro de 2022. Em fevereiro de 2023, a Temu foi lançada no Canadá. 

No mês seguinte, foi lançada na Austrália e na Nova Zelândia. No mesmo período, ambém chegou aos seguintes países: 

  • França
  • Itália
  • Alemanha
  • Países Baixos
  • Espanha
  • Reino Unido
  • Portugal

Nos Estados Unidos, a empresa adotou estratégicas como propagandas em horários nobres e, aos poucos, galgou espaços até se tornar o aplicativo mais baixado nos Estados Unidos para iOS e Android. O número de usuários ativos mensais da Temu nos EUA disparou 950% no quatro trimestre de 2023, frente um ano antes. Hoje, a operação já é a segunda que mais vende no e-commerce norte-americano, atrás apenas da Amazon. 

Por que a Tamu se tornou um fenômeno de vendas?

A ampla variedade de produtos oferecidos é "indiscutivelmente o fator mais significativo" para impulsionar a Temu à frente da Shein, avalia Fatima Linares, analista da Euromonitor International:

“Em um momento em que a crise contínua do custo de vida exige compras mais conscientes do orçamento, os utensílios de cozinha e eletrônicos da Temu, com preços entre 5 e 10 dólares, têm forte apelo”.

Segundo o Morgan Stanley, a empresa vende itens que vão de robô aspirador a conjuntos de tintas aquarela por preços até 70% mais baixos do que produtos semelhantes oferecidos na Amazon. E ainda oferece, nos EUA, frete grátis sem exigência de valor mínimo de compra.

Como a Temu vai chegar ao Brasil

A empresa enviou para a Receita Federal um pedido de certificação no Remessa Conforme. O programa permite que a empresa traga mercadorias abaixo de US$ 50 sem pagar imposto de importação de 60% e facilita o desembaraço das cargas.

A autorização para participação no programa foi publicada no Diário Oficial da União. A empresa já está com um site brasileiro disponível. Por enquanto, porém, os preços seguem em dólar.

Acompanhe tudo sobre:e-commerce

Mais de Negócios

Maior hub de inovação do RS, Caldeira reabre após ficar embaixo d'água com a enchente; veja fotos

"Europa e EUA temem carros elétricos chineses", diz fundador da BYD

A inovação que mudou a indústria: como a Nespresso transformou o consumo de café com suas cápsulas?

Quem é a empresa do Paraná que fará casas 'tipo Lego' a preço de custo para as vítimas da enchente

Mais na Exame