Negócios

Qual é a misteriosa marca chinesa que veste o Brasil nas Olimpíadas?

Peak Sport é fornecedor oficial do Comitê Olímpico do Brasil, mas apenas 24 atletas optaram pela empresa

Fornecedor oficial: Peak Sport criou 39 mil peças exclusivas para o Time Brasil (COB/Divulgação)

Fornecedor oficial: Peak Sport criou 39 mil peças exclusivas para o Time Brasil (COB/Divulgação)

GA

Gabriel Aguiar

Publicado em 26 de julho de 2021 às 18h19.

Última atualização em 27 de julho de 2021 às 12h07.

Talvez você nunca tenha ouvido falar da Peak Sport, empresa chinesa que forneceu os uniformes do Time Brasil nas Olimpíadas de Tóquio, no Japão – mesmo sem ter representação comercial por aqui. Mais curioso é que somente oito anos depois do IPO na bolsa de Hong Kong, em 2009, o fornecedor teve as ações retiradas da listagem (OPA) por conta dos baixos rendimentos das ações.

Para a delegação brasileira, foram criadas 39 mil peças, como calças; bermudas; agasalhos; camisas; tops; bonés; bolsas; e calçados. E nossos representantes não foram os únicos a vestirem a marca: os times de Eslovênia; Islândia; Nova Zelândia; Romênia; e Ucrânia também assinaram contratos com a Peak Sport. Os trajes são obrigatórios para Vila Olímpica, viagens, pódios e cerimônias.

Mas existe uma exceção para o uso do equipamento oficial, já que as confederações esportivas têm liberdade para vestir competidores com fornecedores individuais durante os jogos e disputas. Por isso, só 24 de 301 atletas brasileiros convocados vestirão os trajes do Comitê Olímpico do Brasil (COB) – boxe, canoagem, levantamento de peso, pentatlo, remo, tênis de mesa e tiro com arco.

Tênis 3d da Peak Sport para vôlei

Vôlei: empresa criou o primeiro tênis de vôlei feito com impressora 3D (Peak Sport/Divulgação)

Ainda que seja desconhecida pelo grande público brasileiro, a Peak Sport lançou os primeiros tênis de corrida em 1989, mas começou a expansão global apenas em 2006 – nove anos após ter mais de 6 mil revendedores oficiais na China. Há dez anos, foi criado um centro de desenho e desenvolvimento para calçados nos Estados Unidos. Desde então, o principal foco foram os times de basquete.

Neste ano, a imprensa internacional publicou que o valor de mercado da companhia chinesa já era de 1,4 bilhão de dólares (equivalente a 7,25 bilhões de reais). Procurada, a empresa não respondeu se há planos de expansão no mercado brasileiro, ainda que o contrato com o COB tenha sido firmado há três anos, durante os últimos Jogos Olímpicos de Inverno, na Coreia do Sul, e valha até 2024.

Anteriormente, o patrocinador oficial da delegação brasileira era a norte-americana Nike, que vestiu a equipe entre 2012 e 2016. Desde então, além das competições em PyeongChang, a chinesa Peak Sport forneceu equipamentos para os Jogos Pan-americanos de Lima, no Peru, em 2019. Segundo o contrato, a empresa manterá a exclusividade por dois ciclos, até os Jogos de Paris, daqui três anos.

Olimpíada 2021

Acompanhe tudo sobre:Empresas chinesasEsportesEsportistasModaOlimpíada 2021Olimpíadas

Mais de Negócios

10 franquias baratas de limpeza para empreender a partir de R$ 27 mil

A malharia gaúcha que está produzindo 1.000 cobertores por semana — todos para doar

Com novas taxas nos EUA e na mira da União Europeia, montadoras chinesas apostam no Brasil

De funcionária fabril, ela construiu um império de US$ 7,1 bilhões com telas de celular para a Apple

Mais na Exame