Apresentado por EVOLVE TEC

Com zero de investimento inicial, empresário fatura R$ 10 milhões por ano

Jair Romano Junior deixou a vida de executivo para criar a Evolve tec., empresa que oferece um modelo inovador de consultoria empresarial
Jair Romano, fundador e CEO da Evolve.tec: franqueza sempre que o cliente estiver errado (Evolve Tec/Divulgação)
Jair Romano, fundador e CEO da Evolve.tec: franqueza sempre que o cliente estiver errado (Evolve Tec/Divulgação)
Por exame.solutionsPublicado em 11/05/2022 09:00 | Última atualização em 11/05/2022 11:08Tempo de Leitura: 6 min de leitura

Foi em novembro de 2020, quando inúmeros negócios fechavam as portas por causa da pandemia, ainda no auge, que o executivo Jair Romano Junior decidiu começar a empreender. Depois de construir uma carreira bem-sucedida, que teve início aos 17 anos, em um emprego de telemarketing e o levou ao cargo de executivo de um dos maiores bancos privados do país, ele pediu as contas e decidiu montar uma consultoria com uma proposta de trabalho inovadora.

Nascia ali a Evolve tec., empresa focada em melhorar os resultados de seus clientes por meio de estratégias apoiadas em tecnologia. Aberta praticamente sem nenhum investimento, a consultoria deve fechar o seu segundo ano com faturamento de R$ 10 milhões. E caminha na direção de um sonho bem maior: o de lançar produtos próprios, baseados em inteligência artificial (IA), que acelerem a transformação digital do varejo brasileiro.

Fundador e CEO da empresa, Jair Romano sabe que a ambição é grande, mas garante que está preparado. Natural de Praia Grande, no litoral, Junior deixou a cidade para tentar a vida na capital paulista aos 17 anos, por conta própria. Em poucos dias, conseguiu emprego como operador de telemarketing e logo começou a buscar maneiras de melhorar a eficiência do serviço.

Não sei, mas aprendo

Por conta própria, começou a estudar TI e a se apresentar aos colegas como alguém capaz de desenvolver soluções tecnológicas para o negócio. A informação chegou a um dos donos da empresa, que lhe perguntou se ele tinha os conhecimentos necessários para assumir uma vaga de analista de suporte. “Ter, eu ainda não tenho”, ele falou. “Mas aprendo”. O salário triplicou, ele deu conta do recado e daí em diante sua carreira decolou.

Em pouco tempo, o ex-operador de telemarketing se tornou um executivo de TI e negócios. Trabalhou na operação brasileira da maior rede de varejo do mundo, quando a companhia estava desistindo de atuar com e-commerce no Brasil. “Eles tinham investido de maneira errada, estavam perdendo muito dinheiro e para mim aquilo foi uma grande lição”, conta Jair. “Quando as coisas dão errado é quando você mais aprende”.

Atuou também em uma das maiores varejistas online do país e aceitou o convite para liderar a revolução digital da área de seguros de um grande banco privado.

Em sua experiência como executivo, foi cliente das mais conceituadas empresas de consultoria do mundo e desenvolveu uma visão crítica sobre o trabalho realizado por elas.

Entre os aspectos que o desagradavam, ele cita os processos lentos, que fazem os primeiros protótipos levarem cerca de quatro meses para começar a ser testados; propostas baseadas em planos de ação, ao invés de compromisso com resultados; estratégias criadas de cima para baixo; e a baixa disposição de confrontar as crenças muitas vezes equivocadas de quem contrata.

Incentivado pelo amigo, conselheiro e hoje sócio minoritário Romeu Rechdan, concebeu uma forma de fazer consultoria fundamentada em suas crenças e experiências e montou a Evolve tec.. “Coloquei as minhas ideias em um PPT e saí apresentando para todos os executivos que eu conhecia”, ele recorda.

Franqueza, agilidade e resultados

A proposta da empresa se caracteriza por vários diferenciais. Para começar, segundo Jair, na Evolve tec. o cliente conversa diretamente com o dono e a interlocução é sempre franca e direta. “No Brasil, os executivos gostam de ter o ego amaciado, gostam que a consultoria confirme as ideias deles”, ele diz. “Eu não faço isso. Tudo bem perder o negócio, mas quando o cliente está errado, eu digo que ele está errado”.

O método de trabalho adotado pela Evolve tec. proporciona também mais agilidade. Depois de entender o tipo de problema que precisa ser endereçado, o time da consultoria realiza um trabalho intensivo, reunindo todos os envolvidos naquele projeto de mudança – do operacional que utilizará a solução na ponta final aos altos executivos da companhia.

Em cerca de 15 dias, é apresentado um protótipo que começa a ser testado imediatamente e a gerar feedbacks para futuras melhorias. “Após a entrega desse protótipo na mão do usuário, começamos a desenhar o escopo de tecnologia e traçamos o roadmap de tudo o que precisa ser desenvolvido ao longo do próximo ano”,  explica Jair.

Um exemplo foi o aplicativo criado para um de seus maiores clientes, um gigante farmacêutico, com o objetivo de aumentar a eficiência dos vendedores que visitam as farmácias e drogarias de todo o país.

Ao trazer os representantes comerciais para a imersão inicial, descobriram aspectos pouco conhecidos na sede da companhia, como os travamentos constantes do sistema então em uso e a falta de sinal de internet em muitas localidades visitadas por eles.

Outro diferencial importante é o foco em resultados mensuráveis, como crescimento da base de clientes, enxugamento de custos e aumento de receita. “Nosso compromisso é entregar resultados reais, ou seja, faturar mais, gastar menos tempo, ter processos mais ágeis e estar inovando sempre”, enfatiza o CEO. Para sustentar essa promessa, a Evolve tec. pratica um modelo de remuneração que leva em conta as metas atingidas.

“Se o trabalho parte da premissa de atrair mil novos clientes”, Jair exemplifica, “a gente pode estabelecer que, atingindo esse resultado, 10% do faturamento extra será nosso. Senão, a empresa arca só com o custo da operação”. Para entregar mais rapidamente e assegurar os resultados, a consultoria emprega apenas profissionais de nível sênior e especialistas.

A Evolve tec. atua nos principais segmentos de mercado, em negócios que geram volumes gigantescos de dados. Essa característica deverá ser um dos pilares do próximo passo planejado: o lançamento de produtos próprios baseados em big data e inteligência artificial (IA). Para acelerar essa nova fase, Jair aproveitou a pandemia para fazer um curso de IA no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT.

O primeiro fruto dessa vertente é a plataforma de CRM Iask, criada com o objetivo de mudar o fluxo do varejo. A ferramenta emprega mecanismos de geolocalização, inteligência artificial e aprendizado de máquina (machine learning) para atrair consumidores às redes de varejo.

“O cliente está passando perto de uma loja na qual ele já consumiu algo e o nosso CRM envia mensagens oferecendo desconto, participação em clube de compras ou outros benefícios exclusivos”, exemplifica Jair. “Tudo isso de forma automatizada”.

Além disso, ele diz, as informações inseridas na plataforma geram relatórios que ajudam a fazer a gestão de conversão, por meio de indicadores como o Custo de Aquisição de Clientes (CAC), o volume de vendas ou clientes perdidos (churn), o valor de cada cliente para a empresa, considerando todo o seu histórico de consumo (life time value), e a variação da recorrência de compras.