Negócios
Acompanhe:

Credores de Musk cogitam trocar Twitter por Tesla como garantia

Os bancos acabaram financiando todo o pacote de dívida com recursos próprios em meio a uma deterioração nos mercados de crédito

As negociações são preliminares e nenhuma decisão foi tomada, disseram (Dimitrios Kambouris/Getty Images)

As negociações são preliminares e nenhuma decisão foi tomada, disseram (Dimitrios Kambouris/Getty Images)

B
Bloomberg

8 de dezembro de 2022, 14h41

Os credores de Elon Musk avaliam fornecer ao bilionário novos empréstimos garantidos por ações da Tesla para substituir algumas das dívidas com juros altos que ele colocou no Twitter, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

Os empréstimos seriam uma das várias opções que bancos liderados pelo Morgan Stanley e os consultores de Musk discutiram para aliviar o fardo da dívida de US$ 13 bilhões que o Twitter assumiu como parte da aquisição de US$ 44 bilhões de Musk, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Os bancos acabaram financiando todo o pacote de dívida com recursos próprios em meio a uma deterioração nos mercados de crédito e um início tumultuado do reinado de Musk no Twitter, que tornou difícil passar a dívida adiante para investidores institucionais.

Estima-se que a empresa enfrente custos de juros anuais de cerca de US$ 1,2 bilhão se a atual estrutura de dívida permanecer em vigor, mais do que o Ebitda ajustado do Twitter em 2021.

Até agora, as discussões se concentraram em como substituir US$ 3 bilhões em dívidas não garantidas sobre as quais o Twitter paga uma taxa de juros anual de 11,75%, disseram as pessoas.

As negociações são preliminares e nenhuma decisão foi tomada, disseram.

LEIA TAMBÉM:

"Para onde foi o dinheiro?", questiona Elon Musk sobre caso FTX

Hotel Twitter: na sede, Elon Musk transforma salas de reunião em quartos para dormir