Negócios

Centauro conclui compra da Nike do Brasil por R$ 1 bi

A companhia terá exclusividade como distribuidor, operador da loja virtual e das lojas físicas da Nike no país

Nike: "O preço desembolsado foi calculado a partir da estimativa apresentada pelas vendedoras das contas do balanço da Nike do Brasil" (Andrea Verdelli/Getty Images)

Nike: "O preço desembolsado foi calculado a partir da estimativa apresentada pelas vendedoras das contas do balanço da Nike do Brasil" (Andrea Verdelli/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 1 de dezembro de 2020 às 15h31.

Última atualização em 2 de dezembro de 2020 às 13h38.

O grupo SBF, dono da rede de lojas Centauro, informa que, após a verificado de todas as condições precedentes aplicáveis, concluiu o processo de aquisição da totalidade do capital social da Nike do Brasil, originalmente detidas pela Nike Galaxy Holding B.V. e Nike Group Holding B.V., subsidiárias indiretas da Nike, Inc.. O desembolso final foi de R$ 1 bilhão.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa afirma que a após o processo de negociação que precedeu ao fechamento da Transação, as partes aditaram determinados termos e condições do contrato celebrado em 6 de fevereiro, com o propósito de, dentre outros aspectos, autorizar que as quotas da Nike do Brasil passassem a ser adquiridas pela Grupo SBF e não mais por sua controlada SBF Comércio de Produtos Esportivos; e acordar determinados critérios que serviram de base para o cálculo do preço de R$ 1 bilhão, líquido do saldo de caixa da Nike do Brasil, que foi desembolsado pela companhia nesta data.

"O preço desembolsado foi calculado a partir da estimativa apresentada pelas vendedoras das contas do balanço da Nike do Brasil, tendo a data de fechamento como data base para tal estimativa e, portanto, tal montante ainda está sujeito a ajustes costumeiros que poderão ser requeridos a partir da verificação de tais contas do balanço pelo Grupo SBF", detalha.

Segundo a companhia, como parte da estratégia de integração e posicionamento de mercado da marca, foi aprovada nesta terça-feira, 1º de dezembro, a alteração da razão social da Nike do Brasil Comércio e Participações para Fisia Comércio de Produtos Esportivos.

(EXAME Research/Exame)

Como subsidiária integral do Grupo SBF, a Fisia e determinadas subsidiárias indiretas da Nike, INC. celebraram na presente data os contratos comerciais da Transação que governarão a parceria estratégica da companhia com a Nike, INC. e asseguram a atuação da Fisia como distribuidora exclusiva de produtos Nike, incluindo vestuário, calçados, acessórios e equipamentos, no território brasileiro e a operadora direta exclusiva do canal de venda eletrônico varejista (www.nike.com.br) por um período inicial que se encerra em 31 de maio de 2030; e varejista exclusiva de lojas físicas Nike, responsabilizando-se pela comercialização de produtos ao consumidor final através de lojas monobrand Nike, podendo abrir e operar lojas Nike no território brasileiro, pelo período inicial de cinco anos.

Acompanhe tudo sobre:CentauroFusões e AquisiçõesNike

Mais de Negócios

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Baré, Fruki, Coroa, Jesus: conheça os refrigerantes de guaraná que bombam pelos estados do Brasil

Mais na Exame