“Caminhão-carro” dispensa CNH especial e vira alternativa na pandemia

Diante da expansão das entregas urbanas na quarentena e da taxa básica de juros em mínima histórica, o empreendedor tem estímulos para ter logística própria

Com a expansão significativa do e-commerce em meio à pandemia, o segmento de entregas urbanas cresceu e estimulou a renovação da frota de caminhões, principalmente porque o ambiente de juros baixos favorece a compra de veículos. Para pequenos e médios empresários, o "caminhão-carro" da Volkswagen, que pode ser conduzido com habilitação comum (ou "B"), virou uma alternativa na crise.

O caminhão da montadora na verdade é o Delivery Express, mas é chamado assim internamente por dispensar habilitação para veículos pesados. É voltado tanto para frotistas quanto para autônomos e pequenos empresários.

"Este produto tem inúmeras vantagens. Além de ser o único caminhão que não exige carteira especial para dirigir, também paga pedágio como carro de passeio, o que acaba sendo muito mais econômico", garante Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus, em entrevista exclusiva à EXAME.

Segundo o executivo, de janeiro a agosto as vendas do modelo atingiram 2.086 unidades, número praticamente estável em relação ao volume comercializado no mesmo período do ano passado (2.167). Ao mesmo tempo, o setor de caminhões registrou uma queda de 14,9% das vendas totais no acumulado de 2020.

"A demanda está muito aquecida  no segmento de entregas urbanas. Na pandemia, este mercado não está sofrendo", diz Cortes.

O executivo explica que o mercado brasileiro nunca teve uma taxa básica de juros tão baixa, o que faz com que a propensão a investir em caminhões aumente. "Com a crescente tendência de entregas, o empreendedor faz as contas e decide por fazer sua logística internamente".

Interior do modelo

Interior do modelo (Volkswagen Caminhões e Ônibus/Divulgação)

Ele acrescenta que as instituições financeiras estão com taxas bastante competitivas e sempre há a opção do banco de montadora, que é voltado para fomentar o setor.

Além do Delivery Express convencional, a montadora reserva a versão elétrica do modelo para o futuro próximo, dentro do projeto do e-Delivery, primeiro caminhão elétrico a ser produzido em série no Brasil, na fábrica da Volkswagen Caminhões em Resende, no Rio de Janeiro.

"As nossas soluções são sempre voltadas para o mercado brasileiro, por isso têm dado muito certo", afirma Cortes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também