Acompanhe:
seloNegócios

Brasil se tornou prioridade para receber investimentos, diz CEO da Midea Carrier

A operação brasileira é a segunda maior do mundo fora da China, atrás apenas dos Estados Unidos em faturamento

Modo escuro

Continua após a publicidade
Midea: A empresa tem como estratégia aproveitar sua competência de pesquisa e desenvolvimento no país para inovar e adaptar os produtos às necessidades locais (Michael Lassman/Bloomberg)

Midea: A empresa tem como estratégia aproveitar sua competência de pesquisa e desenvolvimento no país para inovar e adaptar os produtos às necessidades locais (Michael Lassman/Bloomberg)

Produção local, pós-venda e inovação. Foi baseado nesses três pilares que a Midea Carrier, fabricante chinesa de eletrodomésticos, enfrentou o preconceito contra produtos chineses no mercado brasileiro. No Brasil desde 2011, a empresa alcançou um faturamento local de R$3,2 bilhões em 2022. A expectativa é encerrar 2023 com um crescimento de 20% em comparação com o ano anterior. A operação brasileira é a segunda maior do mundo fora da China, atrás apenas dos Estados Unidos em faturamento.

Atualmente, 85% de todos os produtos da marca vendidos no país são produzidos nas fábricas de Manaus e Canoas. Segundo Felipe Costa, CEO da Midea Carrier, “o Brasil se tornou prioridade do grupo para receber investimentos”. “Estamos muito otimistas com o que está por vir, a partir da segunda metade de 2024 teremos nossa nova fábrica em funcionamento, sendo um grande propulsor de nossos negócios nos próximos anos”, diz.

Em entrevista, o CEO falou sobre os planos de crescimento da empresa, os desafios de operar no Brasil, e sobre como a Midea Carrier trabalha para adaptar os produtos às necessidades do consumidor brasileiro.

Confira a entrevista com Felipe Costa, CEO da Midea Carrier no Brasil:

Conte um pouco sobre a presença da empresa no Brasil. Qual é o tamanho da operação aqui?

A Midea Carrier é uma joint-venture formada em 2011 por uma das maiores fabricantes de eletrodomésticos do mundo, a chinesa Midea, e a líder mundial em condicionadores de ar e climatização, Carrier. A união das marcas originou a maior produtora e distribuidora do segmento de ar-condicionado na América do Sul, que emprega quase 2.000 pessoas nas operações do Brasil, Argentina e Chile.

Somos líderes no mercado de ar-condicionado no Brasil e contamos com duas fábricas, uma em Manaus (AM) com capacidade produtiva de mais de dois milhões de unidades de ar condicionado do tipo split, de uso residencial e comercial leve e outra em Canoas (RS), dedicada aos produtos de climatização comercial, com capacidade produtiva de mais de 300 mil toneladas de refrigeração (unidade de medida comumente usada no segmento – cada tonelada de refrigeração equivale a 12.000Btu/h). A empresa conta ainda com três centros de distribuição, localizados junto às fábricas, e outro em Itajaí (SC), e escritórios de vendas em SP, RJ e PE, além de 10 lojas no país.

Qual o faturamento da empresa (Brasil e Global)?

No Brasil, o faturamento foi de R$ 3,2 bilhões em 2022. No mundo, a Midea faturou USD 50,1 bilhões em 2022.

Como funciona a operação no Brasil? A Midea está em quantos pontos de venda?

A operação brasileira é a segunda maior do mundo fora da China, atrás apenas dos Estados Unidos em faturamento.

Nossos produtos são comercializados em revendedores especializados de ar-condicionado e nos varejistas nacionais bem como nos regionais, ou seja temos uma presença nacional através dessa rede e também temos nosso e-commerce, a Midea Store, e a rede de lojas próprias Totaline, que tem 10 unidades no Brasil.

O atendimento pós-venda é parte muito importante da nossa operação: temos cobertura nacional com 380 parceiros autorizados e atendemos mais de 30 mil consumidores todos os meses.

Quais são os principais desafios e vantagens de operar negócios no Brasil?

O Brasil possui uma população bastante razoável combinada com clima quente, em sua maioria, o que faz dele um dos maiores mercados de eletrodomésticos e ar-condicionado no mundo. Os desafios logísticos e a complexidade fiscal são largamente sobrepujados pelas oportunidades oferecidas pela penetração ainda relativamente baixa no segmento de ar condicionado e pela demanda de reposição da ampla base instalada de linha branca com consumidores buscando produtos mais eficientes e adaptados às suas necessidades (facilidade de uso, estética apurada, conectividade e alta qualidade).

A Midea Carrier tem como estratégia aproveitar sua competência de pesquisa e desenvolvimento no país para inovar e adaptar os produtos às necessidades locais. Temos feito isso com sucesso, trazendo ao consumidor brasileiro soluções inovadoras com produtos plenamente adaptados às necessidades dos nossos consumidores.

Por muito tempo, produtos chineses eram considerados de baixa qualidade no mundo, e essa fama também chegou ao Brasil. Como a Midea Carrier enfrentou esse preconceito no mercado?

A Midea Carrier possui um compromisso contínuo com a produção de produtos de alta qualidade e confiabilidade. Isso envolve investimentos significativos em pesquisa e desenvolvimento, controle de qualidade rigoroso e certificações de conformidade. Além disso, a companhia tem um compromisso com a sustentabilidade, desenvolvendo produtos eficientes em termos de energia e responsabilidade ambiental.

Para superar a desconfiança dos consumidores em relação aos produtos “Made in China”, a Midea Carrier adotou uma estratégia que se baseia em três pilares. O primeiro é ampliar ao máximo a produção local no Brasil. Em apenas dois anos, a empresa conseguiu dobrar a proporção de produtos fabricados nacionalmente. Atualmente, 85% de tudo o que é vendido no país é produzido nas fábricas localizadas em Manaus e Canoas. Os 15% são importados e distribuídos pelo centro de distribuição no porto de Itajaí, em Santa Catarina.

O segundo pilar é o foco no atendimento pós-venda. Além de oferecer garantia de dez anos para produtos como compressores e motores, a Midea Carrier planeja aproveitar toda a rede de assistência técnica já existente para os aparelhos de ar-condicionado e estender esses serviços para outros produtos. Isso visa aprimorar a experiência do cliente e garantir a satisfação pós-compra.

O terceiro pilar é se consolidar como uma empresa de tecnologia, indo além da imagem de fabricante de eletrodomésticos. Isso significa investir em inovação, pesquisa e desenvolvimento, e destacar-se como uma empresa que oferece soluções tecnológicas avançadas em seus produtos. Por meio do aplicativo Smart Home, o consumidor pode controlar e monitorar nossos produtos conectados, como aparelhos de ar-condicionado, refrigeradores e lavadoras.

A Midea Carrier enfrenta no Brasil a concorrência de marcas bastante consolidadas no mercado brasileiro como LG, Consul, Philco, Samsung, Brastemp, Electrolux. Como vocês se destacam e se diferenciam da concorrência no Brasil?

Os grandes diferenciais da Midea Carrier são a consistência e a ambição. Consistência na condução dos negócios de uma empresa que é líder do segmento de ar-condicionado há quase três décadas e continua a se reinventar para manter essa liderança e a ambição de crescer de forma sustentável no segmento de eletrodomésticos.

Somos muito fortes em produtos inovadores e competitivos, temos uma rede de distribuidores diversa, difícil de ser igualada, fábricas com grande capacidade e qualidade dos produtos, pesquisa e desenvolvimento no Brasil integrada com nossa matriz na China e estamos cada vez mais dirigindo nossos negócios pela experiência do consumidor, o que muitos buscam mas poucos realmente chegam lá.

Como vocês definem o perfil do consumidor brasileiro? Você poderia dar exemplos desses produtos com características para brasileiros e como tem sido a aceitação desses produtos? Quais são os produtos da Midea Carrier mais vendidos no Brasil?

O brasileiro é um consumidor moderno e que valoriza as questões do meio ambiente, da sustentabilidade e do aproveitamento correto dos recursos naturais.

Destaca-se na nossa linha de produtos o condicionador de ar inverter Air Volution, desenvolvido para o mercado nacional com alta eficiência energética e condensadora de dimensões reduzidas facilitando a instalação e uso dos espaços. Muito preocupado com consumo de energia o brasileiro aceitou muito bem a nossa linha de refrigeradores com alta eficiência energética, tanto que estamos investindo em uma fábrica nova no município de Pouso Alegre para termos mais competitividade no futuro. Muitas famílias preferem lavadoras de roupas de grande capacidade, pois evitam utilizar lavanderias, por exemplo, conseguindo lavar cobertores, cortinas e peças de grande volume, por isso trouxemos ao Brasil a linha de lavadora de roupas de carga superior, que também será produzida em Pouso Alegre, apesar de nosso sucesso com as máquinas de carga frontal (lavadoras e lava-e-seca). Também temos fornos elétricos que oferecem funções variadas, como assar, grelhar e gratinar, as quais são apreciados por aqueles que gostam de cozinhar trazendo o sabor e textura de churrasqueira, uma das comidas típicas do Brasil.

A companhia é líder do segmento de ar-condicionado no País, com aproximadamente 25% de participação de mercado no segmento residencial e com fatia acima de 30% na área corporativa. Mesmo comercializando quase toda a linha de Home Appliances com produtos importados, a empresa fechou 2022 com uma participação de mercado significativa segundo a GfK, entre eles:

  • 25% de participação de mercado em lavadoras front load (incluindo lava e seca)
  • 20% Lava e seca
  • 16% em secadoras,
  • 13% em lava-louças
  • 10% em micro-ondas;
  • 56% de participação de mercado em frigobares,
  • 27% em freezer horizontais

Quais são as perspectivas para o mercado de eletrodomésticos até o final do ano de 2024?

A Midea Carrier é líder em climatização no Brasil e está conquistando cada vez mais espaço no mercado de eletrodomésticos também. Para esse ano, a expectativa é encerrar 2023 com um crescimento de 20% em comparação a 2022, aumentando nossa participação em categorias de grande representatividade e impulsionados pelos lançamentos de produtos, tanto na linha de eletrodomésticos quanto de ar-condicionado. O Brasil se tornou prioridade do grupo para receber investimentos e estamos muito otimistas com o que está por vir, à partir da segunda metade de 2024 teremos já nossa nova fábrica em funcionamento sendo um grande propulsor de nossos negócios nos próximos anos.

Quais são os planos da empresa para o mercado brasileiro? Tem planos de expandir para outros países da América do Sul, além de Brasil, Argentina e Chile?

A meta definida pela empresa é crescer no Brasil aproximadamente 30% nos próximos três anos, buscando estar entre os três primeiros “players” de eletrodomésticos e consolidando cada vez mais a liderança em ar-condicionado.

A empresa já exporta para o Caribe, Argentina, Chile, Equador e México produtos produzidos no Brasil e busca ampliar as exportações nos próximos anos.

A Midea patrocina o Manchester City. Tem alguma intenção de patrocinar um time brasileiro?

O Manchester City é um parceiro da Midea Global. O time cresceu muito nos últimos anos e tem fãs no mundo todo – apenas 10% deles na Inglaterra. Por enquanto, vamos focar no clube inglês e ativar seus apoiadores brasileiros, reforçando a Midea como marca global de eletrodomésticos.

Esta é a primeira entrevista da série “10 perguntas para”, que tem como objetivo entrevistar empresas chinesas que operam no Brasil. Nesta edição, conversamos com Felipe Costa, CEO da Midea Carrier, líder mundial em eletrodomésticos e climatização.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses
Mundo

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses

Há 6 horas

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país
Tecnologia

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país

Há 6 horas

Ibovespa fecha em queda pelo 5º dia e aprofunda pior patamar do ano; dólar sobe a R$ 5,27
seloMercados

Ibovespa fecha em queda pelo 5º dia e aprofunda pior patamar do ano; dólar sobe a R$ 5,27

Há 12 horas

Dólar abre em alta a R$ 5,23 antes de discurso de Powell
seloMercados

Dólar abre em alta a R$ 5,23 antes de discurso de Powell

Há 13 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais