Negócios

ArcelorMittal foca investimentos no Brasil e Canadá

Empresa diz que Índia está abaixo na lista de países nos quais está investindo atualmente

"Nossos investimentos estão focados, atualmente, na expansão de nossas minas existentes de minério de ferro e alguma expansão de capacidade em aço no Canadá, Brasil e Libéria", disse Lakshmi Mittal (Oli Scarff/Getty Images)

"Nossos investimentos estão focados, atualmente, na expansão de nossas minas existentes de minério de ferro e alguma expansão de capacidade em aço no Canadá, Brasil e Libéria", disse Lakshmi Mittal (Oli Scarff/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de abril de 2012 às 11h05.

Nova Délhi - A ArcelorMittal, maior produtora mundial de aço, está focando seus investimentos no Canadá, Brasil e Libéria, enquanto a Índia, onde tem havido pouca tração nos três projetos de grande escala voltados para aço, não aparece como destino de investimentos elevados.

"Nossos investimentos estão focados, atualmente, na expansão de nossas minas existentes de minério de ferro e alguma expansão de capacidade em aço no Canadá, Brasil e Libéria", disse o presidente Lakshmi Mittal, neste domingo.

"Consumimos e compramos muito minério de ferro, então estou buscando áreas onde nós podemos expandir nossas operações de mineração a custos baixos e de uma forma que agregue valor ao nosso negócio. Então, temos investimentos importantes no Canadá e continuamos investindo no Brasil e na Libéria", acrescentou.

Ele disse que a Índia, embora permaneça uma prioridade elevada para a empresa como um importante país emergente, está abaixo na lista de países nos quais está investindo atualmente.

"Capital é escasso e na Índia, para quatro de nossos projetos (existentes), os processos (regulatórios) ainda estão tramitando", Mittal acrescentou. "Sinto-me mal e um pouco preocupado", disse ele sobre três dos projetos na Índia. "Mas não há forma para que eu ignore a Índia e não estou desistindo dos projetos". Ele argumenta que a "taxa anual de crescimento de 7%-7,5% (da Índia) é alta e é motivo de inveja para o resto do mundo".

O executivo disse que a ArcelorMittal não está excessivamente preocupada sobre a desaceleração em escala global da demanda por aço. "Aço é um setor cíclico. Mas, mesmo agora, o consumo aparente de aço global está se mantendo a uma taxa anual de crescimento de 4%". As informações são da Dow Jones.

Acompanhe tudo sobre:acoArcelorMittalCanadáEmpresasPaíses ricosSiderurgiaSiderurgia e metalurgia

Mais de Negócios

Criada após perda familiar, startup maranhense que facilita realização de cirurgias capta US$ 1,5 mi

Yopa: o que aconteceu com a famosa marca de sorvetes e picolés dos anos 1990

Fusão entre Cobasi e Petz fez o número de interessados em conversão crescer 25%, diz CEO da Petland

Não aos feriadões fake

Mais na Exame