Negócios

Após faturar R$ 250 milhões com o Carmed, Cimed aposta num espaço de experiência com o brilho labial

A marca de brilho labial Carmed se tornou líder de mercado neste ano após parcerias bem-sucedidas com a Fini e a linha BFF. Agora, a farmacêutica quer se aproximar (ainda mais) da geração Z

Carmed: 15 milhões de produtos já foram vendidos em 2023 (Divulgação/Divulgação)

Carmed: 15 milhões de produtos já foram vendidos em 2023 (Divulgação/Divulgação)

Isabela Rovaroto
Isabela Rovaroto

Repórter de Negócios

Publicado em 11 de novembro de 2023 às 12h47.

Última atualização em 10 de janeiro de 2024 às 14h08.

A Cimed já vendeu 15 milhões de hidratantes labiais, que renderam à farmacêutica um faturamento de R$ 250 milhões em 2023. A marca de brilho labial Carmed foi criada em 2017, mas se tornou líder de mercado neste ano após parcerias bem-sucedidas com a Fini e a linha BFF, que contou com as atrizes Larissa Manoela e Maísa. Ambas viralizaram nas redes sociais.

De olho na geração Z, público-alvo da marca, a farmacêutica brasileira inaugura neste sábado, 11, o primeiro espaço interativo da Carmed. Localizado no Shopping Bourbon, na zona oeste da capital paulista, o espaço conta com três ambientes para fotos e com brindes da marca. Com entrada gratuita, o espaço chamado de Carmed Club vai funcionar até o dia 25 de novembro. A expectativa é receber 2 mil pessoas por dia.

De acordo com Karla Felmanas, VP da Cimed, esta é primeira de uma série de experiências interativas da marca para se aproximar o público jovem.

“A marca Carmed conquistou uma verdadeira legião de fãs. Por isso, a ideia é criar uma série de ações que proporcionem interação com esse público, expandindo o contato para além do uso do produto e dos conteúdos nas redes sociais”, disse a executiva.

Como a Cimed cresceu na categoria de hidratantes labiais

Com expectativa de faturar R$ 3 bilhões em 2023, a Cimed está presente em 90% das farmácias brasileiras e quer ir além das vitaminas e genéricos e trazer novidades ao mercado.

Os hidratantes labiais Carmed ganharam destaque nas redes sociais neste ano com a linha em parceria com a Fini. O produto viralizou no TikTok e a procura pelo hidratante labial foi tanta que encontrá-lo se tornou uma tarefa quase impossível ao longo das primeiras semanas de junho. Houve até quem vendesse o produto em marketplaces pelo triplo do valor praticado em farmácias. Em um mês, a Cimed vendeu R$ 23,5 milhões em brilho labial.

“Antes, a categoria total de hidratante labial vendia 1 milhão de unidades por mês. O Carmed vendeu 2 milhões, sem tomar participação de mercado dos concorrentes, o que elevou a categoria para 3 milhões de unidades por mês”, diz João Adibe, CEO da Cimed.

No começo de outubro, a Carmed lançou a linha Carmed BFF, com dois novos produtos e as atrizes Larissa Manoela e Maísa na campanha de divulgação. Em live commerce voltado para clientes B2B, a companhia reuniu 8 mil pessoas e vendeu R$ 40 milhões em apenas 20 minutos, batendo recorde de vendas pela primeira vez na história do mercado farmacêutico. A expectativa é faturar R$ 100 milhões até o fim do ano.

Como funciona o Carmed Club

Cimed cria espaço de ativação de marca do hidratante labial Carmed

A ativação chamada de Carmed Club terá um circuito com três ambientes. O primeiro é um espaço instagramável; o segundo será dedicado à máquinas de garra para pesca de hidratantes labiais e nécessaire da Carmed. Ambos poderão ser acessados mediante fila por ordem de chegada.

O terceiro espaço terá uma área dedicada a oficina de customização de pulseiras e outros itens usando adereços relacionados ao Carmed. Para acessar a oficina, o público deve fazer inscrição prévia e gratuita, com data e horário, por meio da plataforma de ingressos Sympla.

Além disso, os clientes que comparecerem ao Carmed Club receberão um "passaporte Carmed" que será carimbado ao final da visita. A ideia é que os clientes usem o passaporte para acessar outras ações da marca que acontecerão ao longo do próximo ano.

Promover experiências imersivas aos consumidores faz parte da estratégia de marketing de grandes companhias como Heineken e O Boticário. Com a retomada pós-pandemia, os clientes passaram a entender experiências personalizadas e presenciais como uma forma de maior conexão com as marcas.

Acompanhe tudo sobre:Indústria farmacêuticaGeração Zcimed

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame