Mundo

Zuckerberg consegue ordem de afastamento contra perseguidor

Pradeep Manukonda enviava mensagens estranhas no Facebook e já havia tentado invadir a casa do executivo

Zuckerberg, criador do Facebook: perseguidor pedia ajuda para "resolver um problema" (Justin Sullivan/Getty Images)

Zuckerberg, criador do Facebook: perseguidor pedia ajuda para "resolver um problema" (Justin Sullivan/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de fevereiro de 2011 às 08h26.

Madri - O criador da rede social Facebook, Mark Zuckerberg, conseguiu uma ordem de afastamento temporário contra Pradeep Manukonda, um homem de 31 anos que, segundo o magnata mais jovem do mundo, enviava mensagens ameaçadoras para seu perfil no Facebook e já tinha tentado invadir sua casa.

Aparentemente, Manukonda entrou em contato repetidas vezes com Zuckerberg através de seu perfil no Facebook e com cartas e flores que enviou a seu domicílio, pedindo "ajuda" para solucionar um problema, informou a revista "TMZ".

"Por favor, preciso de ajuda. Realmente preciso, por favor, me responda antes que seja tarde demais para os dois. Devo minha vida a você e estou a seu serviço, disposto a morrer por você, não são só palavras, falo de coração", foram algumas das frases que Manukonda utilizou para se dirigir ao cofundador do Facebook.

O homem chegou a tentar invadir a casa de Zuckerberg na Califórnia (EUA), mas foi detido pelos seguranças encarregados da vigilância do imóvel.

Foi então que Mark Zuckerberg decidiu solicitar uma ordem de afastamento em um tribunal do condado de Santa Clara (norte da Califórnia), informou o diretor do Facebook, Barry Schnitt, à rede de televisão "NBC".

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetJustiçamark-zuckerbergPersonalidadesRedes sociais

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame