Mundo

Vice-presidente do Malawi morre em acidente de avião

Informação veio à público nesta terça-feira , depois que destroços foram encontrados

Vice-presidente do Malawi, Saulos Chilima, durante uma coletiva de imprensa em 5 de fevereiro de 2020 (AFP/AFP)

Vice-presidente do Malawi, Saulos Chilima, durante uma coletiva de imprensa em 5 de fevereiro de 2020 (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 11 de junho de 2024 às 10h33.

O vice-presidente do Malawi, Saulos Chilima, morreu em um acidente aéreo, anunciou, nesta terça-feira, 11, o presidente desse país do sul da África, pouco depois de encontrarem os destroços do avião que estavam desaparecidos desde o dia anterior.

"As equipes de busca e resgate localizaram o avião, completamente destruído e sem sobreviventes, todos os passageiros que estavam a bordo morreram na hora", anunciou o presidente Lazarus Chakwera em um discurso televisionado, no dia seguinte do desaparecimento da aeronave perto de Mzuzu, no nordeste do país.

O avião militar, com dez pessoas a bordo, desapareceu dos radares nesta segunda-feira após não ter podido aterrissar devido ao mau tempo.

Figura política carismática e de discurso severo, Saulos Chilima, de 51 anos, era muito popular no Malawi, sobretudo entre os jovens.

Foi eleito vice-presidente pela primeira vez em 2014 ao lado do ex-presidente Peter Mutharika. 

Seu avião, que partiu da capital, Lilongwe, na manhã de segunda-feira, não conseguiu aterrissar na cidade de Mzuzu devido ao mau tempo e recebeu a ordem de dar meia volta, antes de desaparecer dos radares.

O vice-presidente se dirigia com outras noves pessoas a Mzuzu, a 370 km ao nordeste, para participar do funeral de um antigo membro do governo.

Entre os passageiros estava a ex-primeira-dama do Malawi, Shanil Dzimbiri.

Chilima foi suspenso de seu cargo em 2022, durante seu segundo mandato, no marco de uma investigação sobre um enorme escândalo de contratação pública. Foi preso e processado por corrupção.

Os tribunais retiraram em maio as acusações contra ele, o que lhe permitiu retomar suas funções.

 

Acompanhe tudo sobre:Aviação

Mais de Mundo

Amsterdã remove das ruas câmeras chinesas de vigilância por risco de espionagem

Aviões movidos a energia solar começam a virar realidade e ganham os céus

Presidente eleita do México propõe reforma judicial; peso já caiu 8% desde eleição

Maduro se diz 'pronto' para reconhecer resultados da eleição na Venezuela

Mais na Exame