Acompanhe:

Venezuela repudia "golpe de Estado parlamentar" no Brasil

País repudiou "golpe de Estado parlamentar no Brasil que, mediante farsas jurídicas das cúpulas oligárquicas e forças imperiais, pretendem derrubar" Dilma

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Nicolas Maduro: se está "substituindo a soberania popular, pondo em risco a constituição e a democracia", afirma o governo da Venezuela
 (Carlos Garcia Rawlins / Reuters)

Nicolas Maduro: se está "substituindo a soberania popular, pondo em risco a constituição e a democracia", afirma o governo da Venezuela (Carlos Garcia Rawlins / Reuters)

D
Da Redação

Publicado em 12 de maio de 2016 às, 18h43.

A Venezuela expressou nesta quinta-feira seu "repúdio categórico" ao que considera um "golpe de Estado parlamentar no Brasil que, mediante farsas jurídicas das cúpulas oligárquicas e forças imperiais, pretendem derrubar a presidenta, Dilma Rousseff", segundo um comunicado do Ministério de Relações Exteriores.

O governo do presidente chavista Nicolás Maduro, aliado político de Dilma, afirmou que se está "substituindo a soberania popular, pondo em risco a constituição e a democracia".

Maduro e o seu antecessor Hugo Chávez (1999-2013) estabeleceram amplos laços comerciais e políticos com os governos de Dilma e do ex-presidente Lula.

Para a chancelaria venezuelana, o afastamento da presidente brasileira do seu cargo é "um ataque motivado pela vingança daqueles que perderam as eleições e são incapazes de chegar ao poder político por outra via que não a força".

O comunicado acrescenta que Dilma conta com "o acervo moral, a dignidade e a histórica capacidade de luta" para ser "garantia para a democracia, as conquistas sociais do povo brasileiro e a unidade 'nuestroamericana'".

Afirma, ainda, que o suposto golpe contra Dilma foi planejado desde que ela chegou ao poder, com ações como "a sabotagem, a desinformação e a mentira", que incluíram "o extremo de pretender impedir a realização de eventos esportivos de grande transcendência mundial no Brasil, com o propósito de desprestigiar o governo e suas autoridades".

A Venezuela faz também um chamado "aos povos do mundo" a se prepararem para "a defesa da democracia, da presidenta Dilma Rousseff e dos processos de unidade e integração entre nossos países".

Após a decisão do Senado brasileiro desta quinta-feira de afastá-la do poder, Dilma voltou a denunciar um "golpe" e urgiu aos seus apoiadores que vão as ruas para resistir.

Últimas Notícias

Ver mais
Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro
Brasil

Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro

Há 11 horas

EUA retoma sanções contra a Venezuela após candidatos da oposição serem barrados das eleições
Mundo

EUA retoma sanções contra a Venezuela após candidatos da oposição serem barrados das eleições

Há 12 horas

EUA decidem se reativam as sanções petrolíferas contra Venezuela por bloqueio à oposição
Mundo

EUA decidem se reativam as sanções petrolíferas contra Venezuela por bloqueio à oposição

Há 20 horas

Maduro anuncia fechamento de sedes diplomáticas da Venezuela no Equador
Mundo

Maduro anuncia fechamento de sedes diplomáticas da Venezuela no Equador

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais